16 de nov de 2008

QUESTÕES RESOLVIDAS - REPUBLICAÇÃO

Por ocasião da prova do Vestibular / 2009, republico aqui questões resolvidas do Processo Seletivo / 2007 UFRN, abordando período composto. Aguardem uma outra postagem com questões novas.
1. (UFRN 2007) Ocorre uma relação semântica de causa–conseqüência entre as orações que compõem o seguinte período:
A) “Não julgue o meu correspondente que os “sebos” as aceitem.”
B) “Onde o meu leitor poderá encontrá-las, se quer ter informações mais ou menos transbordantes de entusiasmo pago, é nas lojas de merceeiros [...].”
C) “Todos as aceitam e logo passam adiante, por meio de venda.”
D) “São tão mofinas, tão escandalosamente mentirosas, tão infladas de um otimismo de encomenda que ninguém as compra [...].”

Esse tipo de questão é característico da UFRN. Trata-se de período composto, embora essa nomenclatura praticamente não seja mais cobrada. O que se quer, na verdade, é medir o conhecimento do aluno sobre as relações existentes nos períodos. Assim, ao invés de se pedir para classificar as orações como subordinadas substantivas, adjetivas ou adverbiais, pede-se para que o candidato indique a relação expressa no segmento indicado: causa, conseqüência, dúvida, modo, função de adjetivo, função de substantivo, e assim por diante. Vejamos a resolução.

Consideraremos, em primeiro lugar, que a relação causa-conseqüência é indivisível: a causa sempre leva à conseqüência e a conseqüência tem sempre uma causa. Causa é o elemento motivador, provocador, enquanto a conseqüência é o resultado, o efeito provocado.
Na alternativa A, a oração subordinada "que os 'sebos' as aceitem" não expressa sentido, mas complementa semanticamente o verbo da oração principal (Não julgue o quê? - que os sebos as aceitem), então funciona como objeto direto, por isso está descartada;
Na alternativa B, a oração subordinada encontra-se intercalada (no meio do período, entre vírgulas) e expressa condição (a condição para obter-se informação de entusiasmo pago é ir às lojas dos marceeiros), portanto também está descartada;
Na letra C, o período é composto por coordenação (conjunção aditiva "e") e a relação causa-conseqüência é típica do período composto por subordinação, logo, não poderia ser a resposta;
A alternativa que resta e que constitui a resposta correta, letra D, apresenta claramente o binômio causa-conseqüencia: a causa é que “(as obras que a República manda editar) são tão mofinas, tão escandalosamente mentirosas, tão infladas de um otimismo de encomenda" e a conseqüencia, o resultado, o efeito de serem assim é "que ninguém as compra [...].”
Essa nomenclatura causa-conseqüência também poderia ser concebida como causa e efeito, bastante comum nas questões de vestibulares que envolvem período composto.

02. (UFRN/2007) A conjunção Contudo (linha 14) poderia ser substituída, sem alteração de sentido, por
A) Desse modo.
B) No entanto.
C) Além disso.
D) Assim sendo.

Questão muito simples de se resolver: Contudo é conjunção adversativa, ou seja, sempre indica uma oposição entre orações de um mesmo período (composto por coordenação). Assim, ela é semanticamente igual a mas, porém, todavia, no entanto e entretanto. Mas é preciso ter cuidado, pois esse conectivo (ou articulador sintático) não se assemelha a portanto, que indica conclusão e tem como sinônimos por isso, assim, logo, desse modo, então. Nesse caso, a alternativa claríssima é a letra B - No entanto.



Quanto às demais alternativas, Desse modo e Assim sendo indicam conclusão (o mesmo que portanto); Além disso indica adição, acréscimento ( correspondentes à clássica conjunção e).

Nenhum comentário: