22 de out de 2008

COMO EU QUERIA (CASSILDO SOUZA)

Como eu queria romper esse silêncio
Essa cratera que há entre nós!
Como eu queria dizer a verdade
De uma vez por todas sem maiores traumas!
Como eu queria entender os porquês
Compreender os senãos, desvendar o talvez!
Como eu queria mesmo ser culpado
Para fazer jus a esse injusto castigo!
Como eu queria apagar o passado
E fazer de conta que tudo é de novo!
Como eu queria ser menos sensível,
Menos frágil, intangível!
Como eu queria não ter ingressado
Nessa dimensão sem saber o que era!
Como eu queria ter dito o que quis
Sem nenhum medo, ser bem mais real!
Como eu queria ter visto o sol
Mesmo que já se pusesse!
Como eu queria que tudo que houve
Fosse como eu queria!

4 comentários:

Soraia Barbosa disse...

Oi Cassildo!
Tudo bem?
Que maravilha ler suas poesias.
Cada uma mais linda que a outra.
Um abraço.

CASSILDO SOUZA disse...

Obrigado, Soraia, pelo incentivo. Escrever é uma forma de satisfação, de expressar coisas que se sentem ou coisas que poderiam ser sentidas, já que quem o faz também finge, às vezes.

Um abraço.

Soraia Barbosa disse...

Isso que você falou de "às vezes fingir sentimento ao escrever" é bem verdade. Eu já fingi muito sentimento em algumas poesias minhas que falo do amor. (risos)
E como já dizia Fernando Pessoa "O poeta é um fingidor. Finge tão completamente que chega a fingir que é dor a dor que deveras sente."

Anônimo disse...

caramba...
lindo demais =)
Parabéns!

Cristiny \o/