25 de abr de 2008

PARÁFRASE

Paráfrase é a reconstrução de um texto com as palavras próprias, mantendo a idéia do original. Assim, pode-se resumir objetivamente qualquer texto, numa nova roupagem , sob a ótica de quem o reproduziu.

Exemplos:

"Nada do que foi será de novo do jeito que já foi um dia" (Lulu Santos/Nelson Motta)

Paráfrases:

1. Na vida, os acontecimentos sucedem-se de maneira a jamais se repetirem.

2. Se você perder uma chance, pode não encontrá-la de novo adiante.

3. Cada momento seguinte é diferente do anterior.

"Cobra que não anda não engole sapo"

Parafraseando:

1. Quem não corre atrás dos objetivos nada consegue.

2. Quem fica parado nada alcança.

3. Quem procura acha.

Como pudemos observar, as paráfrases constituem pequenos resumos, sem a preocupação de analisar a qualidade ou o teor do texto original, mas apenas reconcebê-lo com impressões próprias.

1 de abr de 2008

CHUVAS

Cassildo Souza


Ano bissexto: 2008. A sabedoria popular, que vem profetizando condições favoráveis a um bom inverno, se confirma. A maioria de nossos reservatórios estão praticamente abastecidos, garantindo, até o presente momento, água para as necessidades humanas, animais e vegetais. Mas o ciclo chuvoso não tem trazido somente esperança e otimismo para a população. Com a incidência constante, algumas cidades estão começando a entrar em clima de pânico.
O contraste reside no fato de que, infelizmente, nossa infra-estrutura não está preparada para esse período. É impressionante como as nossas autoridades subestimam a força de um fenômeno que, como sabemos, aqui no Nordeste é irregular. Mesmo assim, não se justifica que, por causa dessa inconstância, estejamos sempre desprovidos de recursos suficientes para garantirmos o mínimo de segurança e conforto principalmente àqueles que moram em locais mais críticos, onde ocorrem alagamentos, desabamentos, falta de acesso a escolas, a hospitais, ao trabalho. Onde a água parada assusta como criadouros do mosquito Aedes Aegypti.
Contudo, as ações não se limitam à obrigação do governo para que as águas tenham uma destinação adequada. A população também precisa cumprir o papel de cidadania, evitando poluir as ruas, fazendo a coleta de lixo regularmente. Como é sabido, uma das coisas mais preocupantes quando chove são exatamente os entulhos que impedem a passagem das águas e muitas vezes causam os alagamentos. Se não houver interação entre Estado e comunidade, as chuvas, contraditoriamente, trarão muitos prejuízos para nós.
É preciso que haja conscientização dos benefícios e dos malefícios que o inverno pode trazer. Chuva sempre é bem-vinda, desde que estejamos prontos para recebê-la, de braços abertos, para desaguá-las nos açudes, rios, mares e oceanos. Afinal, “águas que movem moinhos são as mesmas águas que encharcam o chão”. Vencer esse paradoxo implica articulação de ações concretas, políticas preventivas e eficientes, com a participação ativa do cidadão.