PRESENTATION IMAGE

2 de jun de 2009

QUESTÕES DE INTERPRETAÇÃO COMENTADAS

Tribunal Regional Eleitoral do AMAPÁ – Analista Judiciário – FCC / 2006
As questões de números 01 a 03 referem-se ao texto a seguir.

O que mais surpreende na morte do jovem escritor Alberto Campos é que ele não trazia consigo essa marca misteriosa dos que foram escalados para morrer cedo. Não era um desses "avisados" que já parecem surgir do berço com as mãos e a alma preparadas e que, em sua rápida viagem pelo mundo, limitam-se a olhar silenciosamente para as outras criaturas, com uma certeza nos olhos: uma certeza que nos contagia, mas que continuamos aparentemente a ignorar, tanto é grave esse reconhecimento.
O amigo que olhasse para Alberto Campos não se sentiria coagido a colocar o problema da morte. O corpo talvez fosse débil, mas o que sobretudo identificávamos nele era a chama do espírito, que arde generosamente e que se alimenta do seu próprio fogo.
(Carlos Drummond de Andrade)

01. De acordo com o texto, as pessoas que morrem precocemente
(A) surpreendem-nos sempre, pois tendemos a associar a morte à velhice.
(B) deixam transparecer, desde que nascem, sinais do que lhes ocorrerá.
(C) têm, em vida, pressa em passar pelo maior número possível de experiências.
(D) são justamente aquelas que nos pareciam mais intensas e vitais.
(E) preocupam-se em nos fazer ignorar seus pressentimentos.

1-B: A RESPOSTA É DENUNCIADA POR DOIS SEGMENTOS: “...não trazia consigo essa marca misteriosa dos que foram escalados para morrer cedo.” “Não era um desses ‘avisados’ que já parecem surgir no berço com as mãos e a alma preparadas e que,...”. No texto, Alberto Campos é uma exceção a essa regra que, portanto, é defendida por Drummond.

02. A única afirmação correta em relação ao texto é:
(A) Em Alberto Campos não havia nenhum indício de que morreria precocemente.
(B) O destino não nos permite qualquer convicção sobre quem vai ou não morrer precocemente.
(C) A debilidade física de Alberto Campos era um indício que seus amigos fingiam não ver.
(D) A força espiritual depende do olhar alheio para alimentar sua própria energia.
(E) Os que vão morrer cedo buscam sempre convencer-se
do contrário.

2-A: Essa resposta pode ser justificada pelos motivos da questão n.º 1. Se Alberto Campos era uma exceção à regra de que alguns já nascem com a “marca” da morte, conseqüentemente, não havia nele indícios de que morreria antes do tempo, por isso, fala-se em morte surpreendente. Não se esperava que ele morresse cedo, ao contrário dos demais.

03. Traduz-se corretamente o sentido de uma expressão do texto APENAS em
(A) marca misteriosa = sinal irreconhecível.
(B) escalados = excluídos.
(C)) certeza que nos contagia = convicção que nos toma.
(D) sentir-se coagido = mostrar-se disponível.
(E) chama do espírito = brilho aparente.

3-C: Questão que envolve significação de palavras, semântica. A letra A é descartada, pois enquanto “marca” é sinônimo de sinal, “misteriosa” não pode ser substituída por “irreconhecível”; na letra B, “escalados” não significa “excluídos”; na letra D, “coagido” é exatamente o contrário de “disponível”, coagido significa inibido, intimidado; na letra E, as duas expressões não têm nada de relação uma com a outra. Na letra C, a resposta, “certeza” é sinônimo de “convicção” e “que nos contagia” pode substituir tranquilamente a expressão “que nos toma”.

Nenhum comentário: