23 de out de 2009

O que é que me falta fazer mais (Cassildo Souza)

Acabei com a miséria e com a fome
Corrupção fiz questão de abolir
Guerra do Golfo cheguei a intervir
Só usando a influência de meu nome
Expulsei comandantes de renome
E pus ordem, primando pela paz
Controlei homem, moça e rapaz
Nunca mais ocorreu nenhuma guerra
Levei sossego de volta àquela terra
E o que é que me falta fazer mais bis)
Se o que fiz até hoje ninguém faz.

Eu ensinei ao Drummond de Andrade
Escrever, no quintal de sua casa
Em Itabira, eu lhe dei a minha asa
Para entender a nossa realidade
E relatar o fictício com verdade
Como o fazem os poetas imortais
Se inspirando de maneira eficaz
E nos trazendo momentos bem distintos
Expressando até mesmo seus instintos
E o que é que me falta fazer mais (bis)
Se o que fiz até hoje ninguém faz.

A Rei Pelé, a Garrincha e Maradona
Fui eu mesmo que os fiz trazer a arte
Do futebol que de nós ora faz parte
Tornando a bola a nossa primeira dona
Eliminando todo o esporte cafona
Deixei os outros países para trás
Desguarnecidos, com jogadas “imorais”
Comandadas por Romário e Ronaldo,
Dunga, Bebeto, Ronaldinho e Rivaldo
E o que é que me falta fazer mais (bis)
Se o que fiz até hoje ninguém faz.

A ciência foi por mim desvencilhada
Após o surto que foi a Filosofia
Fiz o que ninguém no mundo o faria
Fiz que a terra deixasse de ser parada
A Matemática foi uma coisa inventada
Química e física eu criei bem lá atrás
Para curar as doenças anormais
Eu fiz surgir neste mundo a Medicina
E ensinei a compor Penicilina
E o que é que me falta fazer mais (bis)
Se o que fiz até hoje ninguém faz.

O maior mérito eu agora vou contar
Que foi trazer a figura do repente
Violeiros, uma classe inteligente
O maior prêmio de que posso me orgulhar
Os cantadores, que eu gosto de contemplar
Todos rompendo limites convencionais
Municipais, estaduais ou federais
Pra que o povo lhes dispensem seu apreço
E nunca mais errem o seu endereço
E o que é que me falta fazer mais (bis)
Se o que fiz até hoje ninguém faz.

Nenhum comentário: