19 de mai de 2010

SALA (DA) DE QUESTÕES (Cassildo Souza)

Quanto gelo vejo agora
Quanta frieza no mundo
Quanta insensibilidade!

Tudo já passa da hora
Nada é mais tão profundo
Quanta falta de verdade!

Tudo é um “faz-de-conta”
Domina a hipocrisia
Felicidade exauriu.

Sereno não mais se está
Agitam-se as sensações
Autenticidade não há.

Onde estão os corações?
Peitos foram extirpados
Divididos em milhões.

Tudo foi fragmentado
Mundo foi comprometido
Nada mais a se ousar.

Viável ficar parado?
Nunca será bom caminho
É preciso se mover.

Mudança tende a reinar
Nem sempre ficar sozinho
Tende a correto ser.

Todos estejam cientes
De que ou se muda agora
Ou tudo irá morrer.

E, a morrer cabisbaixo
A opção coerente
Seria não nascido ter.

Nenhum comentário: