12 de jun de 2010

PARA OS MEUS ALUNOS

Aos meus alunos da Central de Cursos, IEJ e CEDAP, cursinhos nos quais trabalhamos com preparação ao vestibular, estamos disponibilizando mais algumas dicas de Língua Portuguesa.
Um abraço a todos os que acreditam no meu trabalho e que são conscientes dos conteúdos abordados nas aulas. O futuro reserva grandes surpresas.
A postagem a seguir foi uma idéia, na época de sua publicação original, do Diretor e Professor de Matemática da CENTRAL DE CURSOS, Karlo Sérgio. Ele queria, na verdade, mostrar como o aluno deveria responder a questões discursivamente, o que procuramos fazer nas informações seguintes.

INTERPRETANDO ENUNCIADOS E RESPONDENDO COM CLAREZA


O vestibular, nos últimos tempos, tem exigido mais que o aluno aprenda a lidar com situações do dia-a-dia, as provas requerem a interpretação das situações, independentemente da disciplina. Muitas vezes, por essa falta de interpretação, os alunos “pecam” não em química, física ou matemática, mas não compreendendo o que se pede nem sabendo elaborar uma resposta discursiva. Sugerimos, a seguir, respostas claras e objetivas às questões, que demonstram o entendimento do aluno ao que foi solicitado.

Questão n.º 01 (Ufg 2001) Antônio possui um carro a álcool que consome 1 litro de combustível a cada 8 km percorridos, enquanto José possui um carro a gasolina cujo consumo é de 12 km por litro. Sabendo-se que o litro de álcool custa R$ 1,14 e o litro de gasolina R$ 1,60, e que José e Antônio dispõem da mesma quantidade de dinheiro, quantos quilômetros irá percorrer José, tendo em vista que Antônio percorreu 320 km?

Apesar de não estar explícito, o objetivo da questão é que o aluno responda, em outras palavras, se o fato de o álcool ser mais barato corresponde realmente à vantagem financeira quando calculados os quilômetros percorridos. Ou seja, se o litro de álcool é mais barato, será que é mais vantajoso utilizá-lo só por esse motivo?
Considerando que o aluno tivesse de dar uma resposta discursiva à questão, seria muito simples a sua resolução. Vejamos abaixo sugestão, que permite facilitar a resposta, mesmo sem conhecer profundamente a matemática, com base nos dados que são fornecidos pelas bancas.

Se Antônio percorreu 320 km, ele gastou 40 litros de álcool (8 km/L) e, portanto, gastou R$ 45,60. Com o mesmo dinheiro, José, que tem carro a gasolina, gastou 28,5 litros de combustível (litro = 1,60), correspondente a 342km (12km/l), que é uma distância percorrida maior que a de Antônio.

Percebemos, pela resposta acima, que o fato de um combustível ser mais barato do que outro não implica, necessariamente, vantagem, pois é preciso observar a quilometragem que pode ser percorrida por litro. Isso significa uma análise qualitativa, e é essencialmente interpretativa. Ou seja, mesmo que não fosse perguntado, quando o aluno mentaliza o objetivo da questão, facilita o caminho para resolvê-la.

Questão n.º 02 (Pucmg 2003) Com uma frota de nove caminhões, uma transportadora levará 2880 tambores desde uma fábrica até uma loja onde o produto será vendido no varejo. Cada um dos caminhões transporta, no máximo, 40 tambores por viagem da fábrica até a loja. Qual é o número mínimo de viagens que a frota deverá fazer para efetuar o serviço?

A questão quer, na verdade, saber quantas viagens a frota de nove caminhões precisa fazer, cada um com, no máximo, 40 tambores para que consigam transportar um total de 2.880 tambores. Vejamos a simples resolução, que não precisa ser detalhista, pois algumas informações estão implícitas.

Se cada caminhão só pode conduzir até 40 tambores, e a frota tem 09 caminhões, em cada viagem serão transportados 360 tambores. Como é preciso conduzir todos os 2.880 tambores da fábrica até a loja, em 08 viagens o serviço será concluído (8 x 360 = 2.880).

Nenhum comentário: