14 de jul de 2010

ANTICONVENCIONALISMO (CASSILDO) - 2ª Republicação

Não gosto de convenções
Nem de nada programado
Sou fã das contradições
Do que pode ser recriado.

Se tem certas disciplinas
Nem sempre podem ser certas
Seguir essas linhas finas
Não deixa as visões abertas.

Divergências convergentes
Concordâncias discordantes
Os iguais bem diferentes
Corretos seres errantes.

Leis, pra mim, têm que servir
Pra acabar com a injustiça
Para que venham intervir
Nessa sociedade omissa.

Pensamentos que vagueiam
Compactos que se engrandecem
Os pontos que não norteiam
São coisas que se merecem.

Um mundo com vários mundos
Humanos dentro de um só
Tantos descasos profundos
Mais enrolam esse nó.

Por isso, sou do momento
Não tenho hora marcada
Valorizo o sentimento
Espero o tudo do nada.

E quem quiser me seguir
Vá sabendo, de imediato
Não sou de querer sumir
Diante de um forte fato.

Nem sou de perder razão
Apenas não me enquadro
Naquilo que só diz não
E não muda nosso quadro.

Nenhum comentário: