28 de ago de 2010

CÍRCULO INFINITIVO (Cassildo Souza)

Não é preciso
Entender a criação
Nem compreender o universo
Para atirarmos nossas concepções
Existem milhões de mazelas
Ocupando as intenções
Dos corações do ser humano
É um desastre mundano
Que não possui razões nem precedentes
Expoentes dessas crises somos nós mesmos
Radicalizando índices num quadrado imperfeito
Comprimindo o ar rarefeito do psique
Arriscando a artilharia pesada
Em nossas maldosas comparações
Indiscriminando o pré – conceito
No pós – conceito do absurdo
Que não se segura em uma só mão.

Nenhum comentário: