7 de set de 2010

7 DE SETEMBRO!!

O Dia da Independência em países como os Estados Unidos, por exemplo, constitui motivo de muito orgulho e as comemorações têm um sentido concreto de um povo que sabe valorizar as conquistas e anunciar todo o seu patriotismo. Em qualquer que seja o esporte, jogar contra os norteamericanos no Independence Day - July 4th - é uma tarefa das mais complexas.

No Brasil, as coisas são um pouco diferentes. Em razão de muitos problemas sociais que ainda enfrentamos, a população em geral não considera haver motivos para comemorar a tal independência que, para estes muitos revoltados, não teria acontecido em sua maneira plena até os dias atuais. Essa falta de amor à Pátria, contraditoriamente, conduz para que esses entraves continuem a ocorrer. Sem responsabilidade pelo País em que se vive, as eleições, eventos que se propõem a oportunizar as mudanças, acabam ficando sem importância e a escolha dos representantes acaba virando uma "brincadeira" bienal.

Entendo que não devemos misturar as situações. Se o Brasil não é - até então - um país-exemplo, com melhores oportunidades e onde as necessidades básicas não são oferecidas, também não podemos dizer que estamos no fim do mundo. Há motivos, sim, para comemorar muitos avanços que, se não foram na proporção desejada, aconteceram de fato. Independentemente de Governo "A", "B", "C" ou "Z". O orgulho de vivermos aqui deve passar pelo reconhecimento dos aspectos positivos que nós oferecemos ao mundo. Não temos guerras, nem terroristas, nem ditadura. Pelo menos não os temos da maneira primitiva como há em outras nações do Globo.

Devemos nos orgulhar de nosso País, na medida em que somos um povo que encontra solução para tudo. Um povo humano, predominantemente religioso, generoso e que procura nas coisas mais simples a modernização de que tanto precisamos. Somos uma civilização que oferece às outras faces da Terra a alegria da música, do teatro, da televisão, do futebol. Temos muitos potenciais, como o petróleo, a agricultura, o minério, a carne. Os problemas existem, mas desconheço qualquer país que não os tenha, em maior ou menor grau. Ser independente é ser autêntico, é ter um estilo inconfundível em qualquer lugar do Planeta. Nisso, o Brasil já supera muitos outros terrenos que compõem essa esfera chamada Terra e, portanto, o dia da Independência deve, sobretudo, ser reverenciado!

Nenhum comentário: