26 de jan de 2010

VÍCIOS DE LINGUAGEM

São chamados VÍCIOS DE LINGUAGEM os fenômenos lingüísticos que se desviam da norma-culta padrão, muito comum na língua falada, mas acabam sendo, inconscientemente, levados ao registro escrito, como nas redações escolares. São classificados em:

1. AMBIGÜIDADE

Fenômeno que dá margem a mais de uma interpretação, pela maneira como se organizou a estrutura textual. Nesse caso, o leitor não sabe, ao certo, o teor da mensagem, por não existir clareza na comunicação.

1. A cachorra da minha sogra não sai de casa.Possibilidade 1: A sogra tem uma cachorra que não sai de casa
Possibilidade 2: Alguém chama a sogra de cachorra e diz que ela não sai de casa

2. Maria pediu para Flora trazer a sua bolsa.Possibilidade 1: Maria pediu para Flora trazer a bolsa de Maria.
Possibilidade 2: Maria pediu para Flora trazer a bolsa de Flora.

2. BARBARISMO

Constitui a grafia ou pronúncia inadequada ao padrão culto da língua, pela troca, ausência ou excesso de sons/letras.

Acho muito supérfulo esse negócio de carro de luxo.(Escrita correta: supérfluo)

Repercurtiu muito mal as suas colocações na TV. (Escrita correta: repercutiram)

3. CACÓFATO ou CACOFONIA
Indica uma formação sonora desagradável, com palavrões ou repetição excessiva de uma estrutura fonética.

Tudo aquilo que abunda sobra.
A classificação deve ser por cada uma das modalidades.
Sempre saio só no sábado.
Eu apoio a sua idéia, só que assim você não conseguirá nada.

4. SOLECISMO


Compreende qualquer falha de natureza sintática: concordância, regência, falta de seqüência lógica.

Responda ela no telefone. (Responda-lhe ao telefone)
Todas as coisas é muito relativas. (...são muito relativas)
Haviam trezentas pessoas no evento (Havia...)


5. REDUNDÂNCIA ou PLEONASMO VICIOSO
É aquela repetição desnecessária, tendo em vista palavras já citadas ou subentendidas, provocando ruído ou entropia ao texto.

Na sua opinião, você acha, particularmente, que vai passar?(Na sua opinião, você passará? / Você acha que passará?)
Eu voltei de novo à Câmara, porque o povo quis meu segundo retorno.(Eu voltei à Câmara porque o povo quis).

SINTAXE

Publico a seguir versos contendo os termos da oração. Percebam como às vezes fica mais fácil compreender o conteúdo, pois a rima tem um lado muito memorizador.
O caminho da sintaxe nos termos da oração(Cassildo Souza)

São termos da oração
O sujeito e o predicado
Sem eles não há conversa
Nada fica combinado
Eles são essenciais
Vamos deixar registrado.

O sujeito é o referente
Personagem principal
Todos falam sobre ele
É a palavra cabal
O predicado indica
Se o sujeito é bom ou mau.

Oração tem de ter verbo
Dela período se forma
Ele é simples ou composto
Temos de entender a norma
E cuidar na concordância
Se não ela se deforma.

O objeto direto
Complementa o sentido
Para que o verbo seja
Totalmente entendido
Pois na língua é condição
Poder ser compreendido.

A pessoa que conhece
Conhece algo ou alguém
Tem de colocar “o quê”
Tem de informar o “quem”
É o tal do objeto
Direto que nos convém.

O objeto indireto
Traz uma preposição:
Precisar de alguma coisa
Pertencer a uma seção
Interessar a alguém
Visar a uma ação.

Também são complementados
Alguns nomes abstratos
Complementos nominais
Como colheres e pratos
É caso de certeza
Que se insere nesses fatos.

Os adjuntos são dois:
Há os adverbiais
De tempo, modo, lugar
E os adnominais
Que marcam substantivos
É uma função a mais.

Vocativo é o chamado
Vem em qualquer posição
Começo, meio ou fim
E há a separação
É parecido com o aposto
Não pode haver confusão.

É que o aposto explica
O termo que veio antes
Muitas vezes com a vírgula
São detalhes importantes
Temos que ser conscientes
Escritores ou falantes.

Existe o predicativo
Que qualifica o sujeito
E também o objeto
Nos dois com o mesmo efeito
É somente observar
Para analisar direito.

O agente da passiva
É um termo diferente
Ele pratica a ação
Com sujeito paciente
Pois quando há voz passiva
Sujeito não é agente.

Isso foi período simples
Composto será à frente
É preciso ter cuidado
E organizar na mente
Cada verbo, uma oração
Estrutura diferente.

14 de jan de 2010

O prenúncio da loucura (Cassildo Souza)

De médico e louco
Quero a maior distância
Não tem importância
Se eu ficar sozinho
Mal acompanhado?
Pior será.
Mas o que será a loucura?
Sou louco?
Que médico pode me responder?
Ser louco é ser diferente?
Ser convencional não é maluquice?
Que tolice, que importância tem isso,
No contexto alienador das loucuras
Mais endoidecedoras das ideologias humanas?
Ideologias humanas? Não.
Ideologias animais, cruéis, sem precedentes
Forças de uma negatividade aparente
Que nos fazem crer que somos normais de verdade
E nos mascara a loucura que nos atinge
Que atinge os lares, o meio ambiente, os recintos
Que evapora nossas idéias, nossos neurônios,
Nosso cérebro, nosso pensamento.
Loucura? Ah, se eu pudesse...
Seria louco
Assim não precisaria compreender
Ou até mesmo tentar resolver
O problema da humanidade.

13 de jan de 2010

DÚVIDAS QUANTO À REDAÇÃO DA UFRN

Um leitor do blog me perguntou, através de comentário, sobre a metodologia da redação pela UFRN. Como enviei-lhe e-mail indicado por ele e este não chegou a seu destino, faço alguns esclarecimentos, os quais servirão para outros interessados:
. A redação da UFRN, nos últimos três vestibulares, ficou entre CARTA ARGUMENTATIVA e ARTIGO DE OPINIÃO, cujos modelos encontram-se neste mesmo blog. É preciso buscar na parte superior direita da página. Estão colocadas todas as informações, como modelos, casos em que devem ser utilizados.
. O tema é diferente do título: TEMA é o assunto sobre o qual o candidato irá discorrer; TÍTULO é uma espécie de manchete, o aluno é que deve criar, em caso de ARTIGO DE OPINIÃO, pois CARTA não apresenta título.
. Também, neste mesmo blog, parte média direita, existem vários temas sobre os quais a redação poderá ser desenvolvidas. É claro que isso pode variar, como este ano, por exemplo, em que o assunto cobrado dizia respeito às câmeras de segurança instaladas nos locais de acesso público com a frase "SORRIA, VOCÊ ESTÁ SENDO FILMADO". O importante não é "adivinhar" o tema, isso ninguém conseguirá; é estar preparado para redigir sobre os mais variados assuntos. Portanto, a prática semanal é indispensável.
Espero ter esclarecido algumas dúvidas do internauta que me solicitou a explicação, bem como de outros que prestarão vestibular para ingresso em 2011.
Cassildo.

6 de jan de 2010

O DRAMA DO ERRO (CASSILDO SOUZA)

O drama do erro

O trauma do erro tem me perseguido
O que será mesmo que é certo?
É certo o errado que pregam,
É errado o que querem ter como certo?
Ao certo, ninguém sabe a resposta
Errado é pensar que há definição
Certo mesmo, é que há uma vida
Cheia de erros, acertos, indecisões
Errado mesmo é pensar que os amores
Estão escondidos dentro de uma escuridão.
O limite extremo entre o equívoco e a correção
É bem mais estreito do que erradamente se pensa
Há bem mais efeito no certo,
Mas muito mais fácil é errar
E conciliar as bordas desses dois gumes
É arriscar-se ao corte na faca
Traiçoeira do erro da imprevisível vida.

O RESULTADO DO VESTIBULAR COMO EXEMPLO

Para quem anda testemunhando as comemorações do vestibular, por um lado, e a tristeza de uns, por outro, e que deverá prestar o exame este ano, nada é tão oportundo quanto tomar os exemplos de ambos os extremos.

Já é momento de começar, antes mesmo das aulas regulares. As férias acabaram e a renúncia de algumas coisas por um único ano é a garantia de sucesso no futuro. Comecem a estudar desde já, pesquisem, procurem, "perturbem", seja um cão de guarda dos professores. Utilizem as ferramentas da tecnologia em seu favor. Nada impedirá que continuem vivendo normalmente, mas o compromisso será a mola-mestra.

Percebam que a euforia daqueles que conquistaram sua vaga na universidade foi antecedida de alguns momentos de concentração, de seriedade, de compenetração e até de reflexão. Em alguns momentos, pensarão em desistir. No entanto, aqueles que prosseguirem serão os agraciados e poderão, daqui a um, estar em equivalente êxtase.

Nós, professores, temos a obrigação de alimentar esse sonho e, mais do que isso, de contribuir para que ele seja transformado em concreto, acompanhando, orientando, repreendendo (quando preciso). A nossa presença e apoio são fundamentais, mas o mérito sempre terá sido do estudante, caso faça por onde acontecer esse tão almejado sucesso.

Vamos à luta, a vida só está começando.

Cassildo.

5 de jan de 2010

RESULTADO SAIU. E AGORA?

Quantas foram as vezes de desespero, cabelos arrancados, perda da compostura. Quantas vezes os amigos foram "expulsos" da presença. Quantas vezes as chatices predominaram em vez de palavras de carinho.

Para os que atravessaram o caminho

Pois é. Período de pré-vestibular é assim mesmo. É uma época que antecede aquilo que a sociedade chamará de SUCESSO ou FRACASSO. Sim, porque é assim, infelizmente, que tratam os resultados das pessoas. Ou se será totalmente apreciado, agraciado ou a consideração descerá a níveis não viáveis de serem lembrados. Mas, graças a Deus, tudo saiu conforme o esperado e aqueles dias de angústia nos dias da prova, aliados aos períodos de incertezas antes do resultado agora são vistos de maneira positiva. Valeu a pena toda a luta empreendida na tentativa de conquistar um sonho, muitas vezes concebido ainda quando criança. Minhas sinceras congratulações. Vocês são o nosso orgulho. O orgulho dos pais, dos professores, dos amigos, dos parentes, de todos. A vida só está começando. Deus os abençoe.

Para os que, mesmo lutando muito, não lograram êxito

Mas não podemos trilhar unilateralmente. E os outros, igualmente considerados heróis por mim, como ficarão? Tristes, acredito. Mas nada que os desanime a continuar buscando tudo o que decidiram procurar. Jamais os consideraria fracassados, pois a dignidade de uma pessoa não está condicionada à sua aprovação num sistema duro de digerir, totalmente desgastante e cruel, como é o vestibular no Brasil. A vocês, votos de boa sorte no ano que se inicia e mudança de atitude. Claro, porque mesmo sabendo-se do compromisso e responsabilidade, não é difícil conceber que tudo poderia ter sido melhor. Saibam que no meu coração, vocês estão guardados no mesmo lugar que os do grupo acima. Aliás, não dividamos em grupos, todos são, em primeiro lugar, pessoas, seres humanos, e o meu respeito também está atrelado a essa igualdade.

Para os que não tiveram compromisso com as metas

Há aqui, uma trilogia. Além dos que conquistaram e daqueles que não conseguiram mesmo buscando, existem os indivíduos que não tiveram uma atitude compatível com o que se espera dos vestibulandos. Mesmo agindo dessa forma, vocês não estarão livres de minhas palavras: nem tudo está perdido, a mudança parte de cada um, em cima dos erros e dos exemplos alheios. Renovar-se, no sentido de estar em condições de pleitear os seus ideais, é uma característica de quem reconhece as falhas e as usa para melhorar enquanto pessoas. Repreendo-os, mas não os julgo. O espaço existe a todos. O meu carinho também é de vocês.

Portanto, de peito aberto, coloco-me à disposição para tudo aquilo que estiver ao meu alcance.

Um grande abraço a todos.

Professor Cassildo.