30 de jun de 2010

GENTE ESTRANHA

Sei que não devo ser dos mais indicados para referir-me sobre o assunto que segue, mas mesmo assim, creio ser plausível aquilo que vou abordar. Por que será que tanta gente, sem motivo algum, vive mal-humorada, tem duas caras ou pensa que é dona do mundo?

Tenho os meus dias de fúria, mas encontro motivos para tal. Às vezes não estamos bem, por algo desagradável que tem ocorrido, situação da qual ninguém está livre. Mas, o que dizer daquelas pessoas inconstantes, que estão felicíssimas hoje, e com a "cara amarrada" amanhã? Como nos devemos comportar diante delas?
Eu não tenho a receita e nem quero. Acho que deve haver o mínimo de coerência e estabilidade no relacionamento entre pessoas. Deve existir constância, regularidade, o entendimento de que ninguém tem a obrigação de ser surpreendido por ações inesperadas, quando bem tiverem de acontecer. Por isso, não consigo conviver muito tempo com aqueles que não possuem uma unidade no seu comportamento. É desgastante ter que presumir, antecipar, prever.
Que seja irritado, que seja arrogante, que seja estressado; mas que seja sempre, e que se mudar seja para melhor e continue crescente. Devemos andar e agir com a nossa cara, demonstrando claramente nossos posicionamentos a respeito de tudo, sem precisarmos esconder nossa face ou fazer dela uma "faca de dois" gumes, porque ao outro não cabe saber em que dia da semana o humor é bom ou ruim.

29 de jun de 2010

COPA ESTRANHA, COMENTARISTAS PERDIDOS

Sem crítica destrutiva alguma, vejo alguns cronistas esportivos brasileiros como meros "palpitadores" de resultados, como se estivessem em um bolão, cujo modelo se adéqua a da loteria esportiva. E quando o futebol decide se vingar, acontecem coisas imprevisíveis, como têm ocorrido na Copa do Mundo de 2010, seja pela aposta errada, seja pelas interferências da arbitragem.

Vamos por partes: alguns disseram que o grupo do Brasil era o da morte, logo que se realizou o sorteio. Acrescente-se que esses mesmos jornalistas criticavam a Seleção Brasileira, por sua postura de jogo, envolvendo vários aspectos, com os quais até concordo. Então, se o Brasil jogava mal, não tinha inspiração e estava no grupo da morte, a conclusão plausível era a de ser eliminado na Primeira Fase. Ou não? Conclui-se que, ou o time de Dunga jogou muito, ou a chave era fraca. De uma forma ou outra, erraram feio. O Brasil foi primeiro do grupo (mais do que a obrigação).

Segundo round: Ao término da primeira rodada, a Alemanha surgiu como favorita ao título e a Argentina, segundo nossos comentaristas, não se apresentara assim tão bem. Ao final da segunda rodada, a Argentina já assustava e a Alemanha, como perdera para a Sérvia, deixou de ser a favorita, condição que voltou a sustentar após desclassificar a Inglaterra, já nas oitavas-de-final, por 4x1, placar que não representa o que foi jogo, inclusive com um erro incrível de arbitragem. Por sua vez enfrentará a Argentina, também beneficiada no jogo contra o México, que os "hermanos" venceram por 3 x 1. Agora, nenhum comentarista erra: as duas voltaram a ser favoritas.

O pior não estava aí: quantos, também considerando o grupo da França como o da morte, não a apontaram como favorita, colocando o Uruguai como "franco atirador"? E quanto à chave da Itália, alguém duvidaria de sua classificação? As duas foram eliminadas. Para nós, meros torcedores e ouvidores de pouquíssimos comentários coerentes, isso é até divertido. O Brasil até pode sair da copa sexta-feira, e certamente alguém vai se vangloriar da nossa desgraça, dizendo ter avisado que a seleção não tem se apresentado bem. Ser comentarista agora virou ser participante de bolão. Os prognósticos são feitos aleatoriamente, esperando-se uma combinação matemática que dê a razão a quem tem a palavra.

É difícil encontrar, hoje em dia, em âmbito nacional, algum cronista esportivo de qualidade. Primeiro, porque não surgiram bons profissionais desse ramo recentemente; segundo, porque os poucos que podem ter aparecido não têm espaço no grande cenário, povoado de ex-jogadores semianalfabetos e "agitadores de palco"; terceiro, porque o comprometimento dos meios de comunicação com determinadas instituições esportivas é repugnante, faltando independência na hora de exercer o seu papel.

E vou aguardar, até o final da Copa, para saber quantos erros ainda serão necessários até que se perceba quanto nossos meios são carentes de profissionais de verdade.

Um abraço.

Cassildo.

28 de jun de 2010

MEU OBRIGADO!!

Gostaria de agradecer, de coração, a todos os meus alunos, leitores em geral e todos os seguidores (marcados ou não no blog) pela confiança em um trabalho que visa senão colaborar, dentro de minha área de atuação, para a compreensão da Língua Portuguesa e seus fenêmenos. Esse blog, mesmo não estando vinculado a qualquer organização ou diretamente ligado às minhas "obrigações", é tratado como se fizesse parte de minhas atribuições funcionais. Eu decidi que assim seria, e é muito gratificante saber que muitos dele compartilham tirando dúvidas, sugerindo, acrescentando.
Na certa, este espaço tem sido uma de minhas motivações para querer sempre dar o melhor de mim, ainda que sob muitas críticas - o que é compreensivel e até mesmo necessário, desde que devidamente fundamentadas - advindas de vários cantos.
O fato de estar sempre antenado com o que acontece e de poder transmitir isso àqueles que confiam em mim demonstra meu entusiasmo em abordar questões de nossa língua.
Podem ter certeza: vocês são a razão de ser deste espaço. Foi para manter esse intercâmbio que ele foi criado. E estará - como sempre - à disposição dos querem adquirir um pouco mais de conhecimento.
Um grande abraço.
Cassildo.

SAIU O EDITAL DA UFRN

Há muito e por muitos aguardado - como habitualmente ocorre - o Edital do Vestibular / 2011 da UFRN acaba de ser lançado (dia 24.06.2010, pela COMPERVE) e, pelo menos no programa das disciplinas, vem com novidades. A sistemática de indicação dos conteúdos está repaginada, seguindo os moldes parecidos com os do ENEM, embora o próprio documento enfatize não haver "transcrição" da matriz do Exame Nacional do Ensino Médio.
Independentemente de o modelo adotado ser ou não baseado no ENEM, percebo uma valorização ainda mais acentuada com relação ao texto e seus mecanismos de compreensão e/ou produção. Como já postei algumas vezes aqui neste espaço, o aluno será cobrado muito mais pela sua capacidade de entender a "engenharia do texto", os recursos coesivos utilizados, a intencionalidade do autor, a distinção entre os gêneros e entre as seqüências e, ainda mais, a habilidade de argumentar.
Continuará a redação entre CARTA ARGUMENTATIVA e ARTIGO DE OPINIÃO, como tem sido nos últimos três exames, ratificando a tese de que as instituições superiores consideram bons candidatos aqueles que sabem persuadir de maneira clara e coerente. Nesse aspecto, a Universidade Federal do Rio Grande do Norte não precisou adequar-se a nenhum modelo. Permanece seguindo seus próprios princípios, notadamente bem-sucedidos. A teoria se perpetua: aqueles que não souberem escrever demonstrando conhecimento do tema e propriedade dissertativo-argumentativa, na defesa de um tema costumeiramente polêmico, tenderão a se complicar.
Conteúdos como funções da linguagem, figura presente na maioria dos vestibulares da COMPERVE, terão agora ainda mais chance de serem incluídos nas provas objetivas. Tipologia do discurso (direto, indireto e indireto livre), perspectiva do narrador (1ª ou 3ª pessoa: narrador-personagem, narrador-observador) também corriqueiramente solicitados, ganham mais corpo com a mudança de abordagem, mesmo que ainda tímida. A leitura nunca terá sido tão importante para decidir o futuro dos vestibulandos.
Espero, sinceramente, que haja uma unidade entre escolas, cursinhos e alunos. Não podemos mais ignorar a escrita e a leitura, conformando-nos com os discursos não praticados. Se os candidatos não acordarem para a importância de se conhecer cada tema, cada conteúdo curricular adequadamente, caso não estejam "antenados" com o que anda acontecendo no mundo e, ainda, não consigam perceber os fenômenos lingüísticos envolvidos nessa gama de informações, não poderão pleitear - com autoridade - uma vaga para ingresso em 2011.
É essa a expectativa. Certezas não existem, pois se trata de uma mudança que, como sabemos, precisa acontecer na prática, para uma análise mais aprofundada. Ainda assim, observo um avanço no sentido de concretizar a necessidade de obter conhecimento, não apenas limitando-se a decorar regras e fórmulas para o momento decisivo, sem fazer correlações.
Estudemos agora muito mais do que antes. O vestibular está ali, esperando sedendo pelos seus atores.
Cassildo.

25 de jun de 2010

CIVILIZA-AÇÃO (CASSILDO SOUZA)

Aparentes ilusões
Alimentam nossas vidas
Sofridas, bem vividas, engrandecidas
Numa simples folha seca, que vai ao chão.
Somos muitos em pouco espaço
No compasso dessa rotação,
Lunáticos, terrenos, serenos ou não
Somos um complexo, o universo,
Somos a criação, a solução, a confusão
Somos os atores, inventores,
Sem temores, com amores, com ou sem escuridão.
Somos tantos, em vários cantos.
Na esquina da mais temível calada
Estamos firmes, errôneos, certeiros,
Corriqueiros, flutuantes marinheiros
Em busca da total perfeição.

TEMPOS OPOSTOS (CASSILDO SOUZA)

você me despiu
do frio que me cobriu
do arrepio que me tragou
me enrolou, aqueceu meu viver
o meu ego se mudou.

Você me partiu
Quando fingiu que não ouviu
O grito que penetrou
Me apunhalou, sem querer
Muitas marcas me acertou.

E o mundo todo viu
O universo inteiro assistiu
O tiro que arrasou
Estourou, a estremecer
De vez, me transformou.

20 de jun de 2010

AULÃO EM SÃO VICENTE

Ontem, sábado, fui a São Vicente para um aulão comunitário promovido pela Prefeitura local em parceria com a UNICA MASTER. Foram ministradas aulas de Língua Portuguesa (Cassildo) e de Língua Inglesa (Luís Fernando - ótima revelação na área nos últimos tempos).
Num ambiente bastante espaçoso e agradável, tivemos uma ótima receptividade e tentamos dar nossa colaboração trabalhando questões de vestibulares, especialmente da UFRN. Os alunos (cerca de 200) permaneceram no local até o final, demonstrando interesse em acompanhar as explicações. A clientela é formada por alunos de diversas faixas etárias e tenho plena certeza de que foi possível não só revisar como aprender.
Fiquei muito satisfeito e aproveito para agradecer ao Professor Agnaldo (História), responsável pelos professores, o qual me convidou a participar desse Projeto.
Espero voltar em breve.
Cassildo.

18 de jun de 2010

PROCURANDO O AUTOR

Quem foi meu aluno na Central de Cursos em 2009, gostaria que soubesse o quanto procurei saber o autor do texto DESORDEM e PROGRESSO, postado em março do ano passado e que tem sido a matéria com o maior número de comentários, todos positivos. Gostaria de fazer justiça divulgando o nome do autor. Esse texto deu uma grande contribuição a alunos de diversas partes do Brasil, que encontram neste blog uma base para suas redações.
Espero encontrá-lo em breve.
Cassildo.

12 de jun de 2010

QUESTÕES DE CONCORDÂNCIA COMENTADAS

01. Assinale a frase que contém erro de concordância nominal.
a) Ele fez questão de deixar bem claras as intenções.
b) Deixarei gravadas estas palavras de saudade.
c) A Revolução Húngara tornou visíveis os erros do comunismo.
d) Tomei emprestados ao professor vários livros.
e) Os sindicatos tiveram reconhecidos o seu direito de greve.

RESPOSTA: "E". Na concordância, especialmente a nominal, a ordem dos termos poderá confundir o candidato. A questão apóia-se na concordância do PREDICATIVO. Na letra "A", INTENÇÕES concorda perfeitamente com CLARAS, seu predicativo; na letra "B", PALAVRAS tem como referente GRAVADAS; na letra "C", os ERROS é que se tornaram VISÍVEIS; e, na letra "D", os VÁRIOS LIVROS foram EMPRESTADOS pelo professor. Na letra "E", há uma incoerência, pois o DIREITO DE GREVE foi RECONHECIDO e não RECONHECIDOS, como aparece na questão, induzindo ao erro pela aproximação entre os termos.

02. Em muito pouco tempo, _____ vários erros, e __________ horas para corrigi-los.
a) foram cometidos – serão necessárias.
b) foi cometido – será necessário.
c) foram cometidos – será necessário.
d) foi cometido – serão necessárias.
e) foram cometidos – será necessária.

RESPOSTA: "A". Questão de concordância verbal. Os termos a receberem concordância são ERROS (masculino plural) e HORAS (feminino plural), SUJEITOS das orações coordenadas, que aparecem em ordem posterior ao verbo e poderiam causar dúvida. Desse modo, as formas verbais também devem estar no PLURAL, no caso FORAM COMETIDOS (masculino plural) e SERÃO NECESSÁRIAS (feminino plural). As outras alternativas, automaticamente por essas razões, estão descartadas.

03. (CS / 2010) Assinale a frase cuja concordância verbal ou nominal esteja ERRADA:

a) “As pessoas sempre tem chance de jogar”. (G. Arantes)
b) “A arca de Noé, o dirigível não voam nem se podem flutuar”. (Zé Ramalho)
c) ”Em todo porto, tremulará a velha bandeira da vida”. (Lulu Santos)
d) “Havia mil garotas a fim”. (Engenheiros do Havaí)
e) “Não era mais o mesmo, mas estava em seu lugar” (Nenhum de Nós)

RESPOSTA: "A". Deve haver cuidado com essas questões. Apenas um acento muda a concordância.O termo AS PESSOAS (sujeito) encontra-se no plural e o verbo TEM está se acento, portanto, no singular. As formas verbais TEM e VEM (com derivados) sempre são acentuadas com circunflexo no plural, como caso da primeira alternativa. Nos outros casos, letra "B", VOAM concorda com A ARCA DE NOÉ, O DIRIGÍVEL (sujeito composto); na letra"C", TREMULARÁ concorda claramente com VELHA BANDEIRA; na letra "D", HAVIA tem valor de EXISTIA, portanto fica no singular mesmo concordando com GAROTAS; na letra "E", todos os termos estão no singular, por isso não há erro.

Voltarei a postar outras matérias envolvendo Língua Portuguesa. Este é meu trabalho, esta é a minha função. Espero estar contribuindo para o progresso das pessoas, sem nenhum interesse que não seja vê-las bem-sucedidas.

Um abraço a todos que me acompanham e fica um convite aos que ainda não conheceram este espaço.

PARA OS MEUS ALUNOS

Aos meus alunos da Central de Cursos, IEJ e CEDAP, cursinhos nos quais trabalhamos com preparação ao vestibular, estamos disponibilizando mais algumas dicas de Língua Portuguesa.
Um abraço a todos os que acreditam no meu trabalho e que são conscientes dos conteúdos abordados nas aulas. O futuro reserva grandes surpresas.
A postagem a seguir foi uma idéia, na época de sua publicação original, do Diretor e Professor de Matemática da CENTRAL DE CURSOS, Karlo Sérgio. Ele queria, na verdade, mostrar como o aluno deveria responder a questões discursivamente, o que procuramos fazer nas informações seguintes.

INTERPRETANDO ENUNCIADOS E RESPONDENDO COM CLAREZA


O vestibular, nos últimos tempos, tem exigido mais que o aluno aprenda a lidar com situações do dia-a-dia, as provas requerem a interpretação das situações, independentemente da disciplina. Muitas vezes, por essa falta de interpretação, os alunos “pecam” não em química, física ou matemática, mas não compreendendo o que se pede nem sabendo elaborar uma resposta discursiva. Sugerimos, a seguir, respostas claras e objetivas às questões, que demonstram o entendimento do aluno ao que foi solicitado.

Questão n.º 01 (Ufg 2001) Antônio possui um carro a álcool que consome 1 litro de combustível a cada 8 km percorridos, enquanto José possui um carro a gasolina cujo consumo é de 12 km por litro. Sabendo-se que o litro de álcool custa R$ 1,14 e o litro de gasolina R$ 1,60, e que José e Antônio dispõem da mesma quantidade de dinheiro, quantos quilômetros irá percorrer José, tendo em vista que Antônio percorreu 320 km?

Apesar de não estar explícito, o objetivo da questão é que o aluno responda, em outras palavras, se o fato de o álcool ser mais barato corresponde realmente à vantagem financeira quando calculados os quilômetros percorridos. Ou seja, se o litro de álcool é mais barato, será que é mais vantajoso utilizá-lo só por esse motivo?
Considerando que o aluno tivesse de dar uma resposta discursiva à questão, seria muito simples a sua resolução. Vejamos abaixo sugestão, que permite facilitar a resposta, mesmo sem conhecer profundamente a matemática, com base nos dados que são fornecidos pelas bancas.

Se Antônio percorreu 320 km, ele gastou 40 litros de álcool (8 km/L) e, portanto, gastou R$ 45,60. Com o mesmo dinheiro, José, que tem carro a gasolina, gastou 28,5 litros de combustível (litro = 1,60), correspondente a 342km (12km/l), que é uma distância percorrida maior que a de Antônio.

Percebemos, pela resposta acima, que o fato de um combustível ser mais barato do que outro não implica, necessariamente, vantagem, pois é preciso observar a quilometragem que pode ser percorrida por litro. Isso significa uma análise qualitativa, e é essencialmente interpretativa. Ou seja, mesmo que não fosse perguntado, quando o aluno mentaliza o objetivo da questão, facilita o caminho para resolvê-la.

Questão n.º 02 (Pucmg 2003) Com uma frota de nove caminhões, uma transportadora levará 2880 tambores desde uma fábrica até uma loja onde o produto será vendido no varejo. Cada um dos caminhões transporta, no máximo, 40 tambores por viagem da fábrica até a loja. Qual é o número mínimo de viagens que a frota deverá fazer para efetuar o serviço?

A questão quer, na verdade, saber quantas viagens a frota de nove caminhões precisa fazer, cada um com, no máximo, 40 tambores para que consigam transportar um total de 2.880 tambores. Vejamos a simples resolução, que não precisa ser detalhista, pois algumas informações estão implícitas.

Se cada caminhão só pode conduzir até 40 tambores, e a frota tem 09 caminhões, em cada viagem serão transportados 360 tambores. Como é preciso conduzir todos os 2.880 tambores da fábrica até a loja, em 08 viagens o serviço será concluído (8 x 360 = 2.880).

9 de jun de 2010

PROPOSTA DE REDAÇÃO

A proposta que publico abaixo é para os alunos que entendem a importância da redação treinarem. Caso, desejem envie o texto a ela referente para duvidasnoar@hotmail.com, que devolverei a correção.
PROPOSTA DE REDAÇÃO

Leia atentamente o texto-base a seguir e depois proceda como se pede:

Numa audiência com debates acalorados, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado reuniu nesta quarta-feira defensores e opositores do projeto de cotas nas
universidades federais. Embora a proposta só beneficie quem cursou o ensino médio em escola pública, prevendo uma subcota para negros e índios variável em cada estado, foi a questão racial que dominou a discussão.
De um lado, o doutor em geografia e articulista Demétrio Magnoli e o cientista político Bolívar Lamounier faziam críticas pesadas ao projeto. De outro, o juiz federal do Rio William Douglas, professor voluntário da Educafro, uma ONG que oferece pré-vestibulares para estudantes negros, e o procurador do Estado do Rio de Janeiro Augusto Werneck saíam em defesa das cotas.
Magnoli exibiu imagens de crianças brancas e negras em sala de aula e usou recursos gráficos para indicar que as cotas vão separá-las.
- É passar uma fronteira no meio dessa classe (a da foto), do povo, das favelas. As raças não existem, o único jeito de criar raças é através da lei. É uma vergonha o que se está discutindo aqui – disse Magnoli.
Segundo ele, é “demagogia barata” falar em reparação do que ocorreu durante a escravidão, pois, afirmou Magnoli, os negros de hoje tiveram ancestrais brancos, assim como os brancos têm antepassados negros, dado o alto grau de miscigenação.
Já o juiz Douglas disse que os negros pobres são mais discriminados do que os brancos pobres. Por isso, argumentou ele, a reserva de vagas deve levar em conta não só o fato de o
aluno ter estudado em escola pública, como também critérios raciais.
- Como ouvi de um aluno meu: ‘A polícia, para bater na gente, sabe exatamente (quem é negro).’ A gente dá um fusca para um, uma Ferrari para outro e depois quer falar em igualdade.
A reunião mostrou que os integrantes da CCJ estão divididos sobre a cota racial. Mas há consenso de que é preciso instituir uma cota social, ou seja, um sistema que beneficie fatia mais pobre da população.


O Sistema de cotas universitárias para estudantes negros e indígenas tem sido um assunto bastante discutido no Brasil, dividindo a opinião de estudiosos, intelectuais e autoridades políticas, em muitos segmentos. Com base nesse fato, escolha uma das propostas de redação abaixo e proceda conforme se orienta, nas seguintes condições:

( ) PROPOSTA N.º 01
- Redigir uma DISSERTAÇÃO ARGUMENTATIVA EM PROSA, coesa e coerente, no registro culto da língua, definindo um posicionamento sobre o tema abordado, de forma a responder à seguinte pergunta: O sistema de cotas deve ou não ser instituído no Brasil?
( ) SIM ( ) NÃO ( ) EM CASOS ESPECÍFICOS

( ) PROPOSTA N.º 02
- Redigir uma CARTA-ARGUMENTATIVA EM PROSA, coesa e coerente, no registro culto da língua, direcionada ao Juiz William Douglas (A FAVOR) ou ao Articulista Doutor em Geografia, DEMÉTRIO MAGNOLI (CONTRA) concordando com o seu posicionamento total ou parcialmente. Assine com o pseudônimo QUOTUUM DISCUSSIUS
( ) CONCORDÂNCIA TOTAL ( ) CONCORDÃNCIA PARCIAL

INSTRUÇÕES:

Þ Escolha apenas uma proposta, marcando “X” no parêntese correspondente à escolhida;
Þ Redija o texto, PREFERENCIALMENTE, no verso desta proposta;
Þ No caso da DISSERTAÇÃO-ARGUMENTATIVA, NÃO ASSINE, sob hipótese alguma, seu texto;
Þ O texto deverá adequar-se à norma ortográfica vigente até 31-12-2008;
Þ Serão analisados os seguintes aspectos: emprego adequado da norma culta; análise correta e coerente do tema proposto; aspectos coesivos; estrutura textual adequada à tipologia e ao gênero textual.


NOME: ___________________________________________________

Turma: Tarde ( ) Noite – Ext. ( ) Noite – Int. ( )

4 de jun de 2010

PROJETO DE INCENTIVO À LEITURA - MÓDULO III

Projeto Ficha Limpa é aprovado no Senado

19.05.2010

O Senado aprovou por unanimidade, em sessão extraordinária na noite de hoje, o projeto de lei Ficha Limpa, que impede candidaturas de pessoas com condenações por crimes graves, durante oito anos. O projeto segue agora para sanção do presidente Lula.

Segundo os parlamentares presentes à votação, cabe à Justiça decidir sobre a validade da lei já para as próximas eleições. "O Senado fez sua parte", ressaltou o líder do governo, senador Romero Jucá (PMDB-RR).

Para o líder do PT, Aloizio Mercadante (SP), esse "é um passo insuficiente, mas é o passo possível. A verdadeira peneira do processo democrático é o voto".

O projeto Ficha Limpa partiu de uma iniciativa popular que reuniu mais de dois milhões de assinaturas e chegou ao Congresso em setembro do ano passado, tendo sido aprovado, na Câmara dos Deputados, há menos de uma semana.

Nesta manhã, o projeto havia sido aprovado, sem modificações, na Comissão de Constituição e Justiça, onde ganhou o caráter de tramitação urgente para que pudesse ser rapidamente votado.

http://www.dilmanaweb.com.br/noticias/entry/projeto-ficha-limpa-e-aprovado-no-senado/

Com base na notícia acima, escreva um ARTIGO DE OPINIÃO em prosa, no registro culto da língua, opinando sobre a aprovação do Projeto de Lei de iniciativa popular que coíbe a participação de candidatos com “Ficha Suja” em pleitos eleitorais. O artigo deverá responder, com argumentos claros e convincentes, à seguinte pergunta. A aprovação do Projeto de Lei “Ficha Suja”, de iniciativa popular, representa uma maior atenção do povo aos atos ilícitos praticados na política brasileira?

( ) SIM, ISTO É UM FATO

( ) SIM, MAS MUITA COISA AINDA PRECISA MUDAR

( ) NÃO, ISTO É APENAS UM FATO ISOLADO

( ) NÃO, MAS É UM COMEÇO PARA O AVANÇO.

INSTRUÇÕES:

- Evite, ao máximo, rasuras;

- Assine seu Artigo com o pseudônimo POVO ATENTO; a assinatura com o nome original implicará em nota zero;

- Escreva no mínimo, 15 e, no máximo, 35 linhas;

- O texto deverá adequar-se a uma norma ortográfica vigente até 31-12-2008;

- Escreva seu texto, PREFERENCIALMENTE, no verso desta proposta;

Serão analisados os seguintes aspectos: emprego adequado da norma culta; análise correta e coerente do tema proposto; aspectos coesivos; estrutura textual adequada à tipologia e ao gênero textual.

3 de jun de 2010

LINKS IMPORTANTES

Indico alguns links, deste mesmo blog, importantes para alunos de concursos e vestibulares.


FUNÇÕES DA LINGUAGEM:
http://centraldasletras.blogspot.com/2008/08/funes-da-linguagem.html

DENOTAÇÃO E CONOTAÇÃO
http://centraldasletras.blogspot.com/2008/09/denotao-e-conotao.html
http://centraldasletras.blogspot.com/2009/09/denotacao-e-conotacao.html

PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO
http://centraldasletras.blogspot.com/2009/03/periodo-composto.html

MODELOS DE CARTA E ARTIGO
http://centraldasletras.blogspot.com/2009/11/estruturas-de-carta-e-artigo-ultima.html
http://centraldasletras.blogspot.com/2010/04/modelo-de-artigo-de-opiniao.html
http://centraldasletras.blogspot.com/2008/10/modelo-de-artigo-de-opinio-ttulo-nome.html
http://centraldasletras.blogspot.com/2009/03/modelo-de-artigo-de-opiniao.html

RELAÇÃO DE LINKS RELACIONADOS À REDAÇÃO ARGUMENTATIVA
http://centraldasletras.blogspot.com/2008/11/links-relacionados-redao-para.html

Aproveitem e não deixem de conferir. Isto ainda será útil em suas vidas.

Um abraço.

Cassildo.

AOS MEDÍOCRES, A COVARDIA

Digo sempre que o ser humano pode ter todos os defeitos, porque somos falhos e sempre erraremos. Mas um deles está acima dos outros: a covardia, que se manifesta em seus diversos modos e que vem, muitas vezes, daqueles de quem menos esperamos. Covardia, em meu entendimento, deveria ser considerada crime, como roubar, insultar, ofender, coagir.

Quem pratica um ato dessa natureza não pode ser considerado de personalidade concreta, construída ao longo dos erros e dos aprendizados. Apunhalar um cidadão pelas costas, sabendo muitas vezes da verdade e induzindo à mentira, é algo repudiável e merecedor de todas as reprovações. Constantemente ficamos sabendo de casos em que pessoas de mesmo convívio foram medíocres com seus colegas, por não terem a capacidade de buscar seus objetivos.

Quando se fala o que se pensa cara a cara, a sociedade paradoxalmente repreende o autor das palavras. Por essa razão, para alguns cidadãos o mais cômodo é dizer por trás aquilo que sempre quis dizer presencialmente. Eu sou constantemente recriminado por tentar trilhar o caminho contrário. E entendo que muitos outros, assim como eu, também recebe essa recriminação. Não gosto de covardia. Não sou melhor do que ninguém, porque cometo meus deslizes também, mas a prática de sinceridade deve ser um exercício constante, queiram ou não.

Eu tenho uma esperança quase utópica de que as covardias diminuam. Que as pessoas assumam seus erros, tirando a responsabilidade dos outros, que aprendam a reconhecer que "os seus" também erram, muitas vezes mais do que pensa. Apontar o erro do outro como escudo remete ao ditado popular "quem disso cuida disso usa". Só acusar e desempenhar a vitimização fica para aqueles que não tem capacidade de sustentar a personalidade.

MAIS UM MODELO DE ARTIGO - BÔNUS

Coloco à disposição dos meus poucos seguidores e heróis que acompanham meu blog, um modelo de Artigo de Opinião redigido agora há pouco para um material de pré-vestibular que entregarei nas próximas horas. É básico, não possui nada de extraordinário, mas visa a orientar como se deve estruturar um texto de natureza argumentativa em geral, pois tanto na CARTA quanto na DISSERTAÇÃO, também se deve preservar a divisão em três partes principais.

OS PARADOXOS DO MUNDO VIRTUAL

INTRODUÇÃO – TESE

Vivemos um período em que quase tudo é virtual: Compras on-line, músicas em formato MP3, Livros armazenados em dispositivos portáteis, valores guardados em caixas eletrônicos, identificados por uma senha e retirados com um cartão. O advento tecnológico trouxe mudanças radicais - positivas e negativas - obrigando as pessoas a uma adaptação para a qual nem sempre estão preparadas.

DESENVOLVIMENTO – 1º ARGUMENTO

É importante ressaltar que, como todos os segmentos, a “virtualidade” tem seus pontos positivos e negativos: Numa das instâncias, facilita nossas vidas, evita deslocamentos gigantescos, permitindo comunicação intercontinental, inclusive com grande utilidade na área medicinal, em que laudos e exames médicos são transferidos via on-line em segundos, evitando a demora da entrega de uma correspondência pelo serviço postal até se conhecer o resultado de um exame.


DESENVOLVIMENTO – 2º ARGUMENTO

No entanto, também não podemos nos esquecer da vulnerabilidade que é a dependência das redes de informação. Hackers maldosos roubam dados importantes como nºs. de CPF, cartão de crédito e data de nascimento, clonam documentos com senhas subtraídas de quem está fazendo uma transação na Internet, pirateiam CDs e DVDs, tudo pela facilidade digital que nossa época permite.

CONCLUSÃO - SOLUÇÃO/SUGESTÃO/RETOMADA DA TESE

Diante das ponderações anteriores, caberá a nós, enquanto inevitáveis usuários dessa nova sistemática, distinguir os pontos que levam ao risco e os aspectos que facilitam a nossa vida. Ninguém, por mais radical que seja, está imune aos efeitos da era digital, por isso devemos nos moldar a ela, utilizando aquilo que nunca será dispensável, em qualquer que seja a idade: o conhecimento.