27 de nov de 2010

A LUTA SÓ ESTÁ COMEÇANDO!

Foi um ano cheio de idas e vindas, altos e baixos. Os vestibulandos chegam a um momento de decisão, que lhes poderá mudar a vida: as provas do vestibular / 2011. Alguns, ainda em revisões de véspera, outros descansando a mente. Como preferir, o fato é que muitas coisas devem passar na cabeça de todos eles a partir do início das provas, amanhã.

As dificuldades enfrentadas no decorrer do ano devem ser motivo para reforçar a vontade e capacidade de atingir a meta programada. Sabemos o que muitos estudantes sofrem para poder dar conta da escola, simplesmente porque muitos a conciliam com o trabalho. Outros parecem ter perdido a perspectiva ou não acreditar no sistema em que estão inseridos para que possam alcançar seus propósitos.

O fato é que a batalha está sendo introduzida agora. Muitas trincheiras, armadilhas, trilhas sinuosas estão à espreita e devem ser transpostas. Mas tudo será feito com muita esperança, fé, amor próprio. Que sejam esquecidas diferenças pessoais. Cada um deve trabalhar por si, apenas para si, mas sem a necessidade de que desejar a queda do outro.

Professores que estiveram ao longo do ano com vocês sentem um vazio - neste momento - pela lacuna que será deixada nos dias em que não mais haverá aula. Sentir-se-á falta até mesmo dos momentos críticos, dos embates, das discordâncias: aspectos que têm que existir para que o crescimento geral e o avanço aconteçam. Mas tudo isso será superado com o esperado sucesso desses guerreiros a partir de amanhã.

Apresento, aqui, meu sincero sentimento de vitória por vocês. Que Deus os abençoe e ilumine as mentes que já estão saturadas, exaustas de tanto acumular conhecimentos e dúvidas, bem como de tentar eliminá-las. Para vocês, meu sincero boa-sorte e, independemente de onde estiverem, contem sempre comigo!

Meus abraços e cumprimentos!

Professor Cassildo.

O QUE DEIXAREMOS DE CONHECIMENTO?

Esses dias, algumas questões têm-me deixado bastante inquieto: uma delas diz respeito às pessoas que estamos formando (ou "desformando"), à geração futura e ao que ela poderá nos deixar de positivo. Realmente, estou com poucas perspectivas.

É impressionante - e isso eu mesmo testemunho - a falta de objetivos que a geração atual ostenta para instruir-se cada vez melhor. Parece que todo mundo esqueceu-se de que precisa planejar sua vida e traçar metas. A condição fundamental para isto é estudar, profissionalizar-se, enfim, capacitar-se. A a sistematização dos conhecimentos e a sede pela perfeição andam ausentes neste mundo complexo.

Abordo um aspecto do qual sou suspeito para falar, mas que de uma maneira ou outra não pode ser esquecida: o bom uso da língua. Não sei por quê, mas as pessoas impregnaram que só devem falar e escreve bem aqueles que se aventuram pelos caminhos da Língua Portuguesa: professores, literatas, lingüistas. Quanto engano! Essa mentalidade rude só nos reforça a tese de que precisamos mudar muito os nossos conceitos, se quisermos ser grandes um dia. Não podemos admitir profissionais graduados - sejam de qual área forem - escrevendo, falando e compreendendo errado as coisas.

Mas não paro por aí. O pior é quando os profissionais têm dificuldades em suas áreas específicas: médicos que não atendem bem os pacientes; professores que se expressam equivocadamente; repórteres que não sabem se portar diante de um entrevistado; recepcionistas que não sabem dar informação, entre outros casos. Tais situações nos indicam que a capacidade profissional é pequena, porque justamente o período em que tais pessoas tiveram para moldar a sua profissão não foi bem aproveitado.

Infelizmente, já não é surpresa. Estamos cansados de escutar pessoas dizerem "eu sou formado", "tenho o curso superior", "sou graduado nisso", "sou especialista naquilo"e mesmo antes de mostrar seu trabalho, nem falar correto sabem. Não é uma crítica destrutiva, é uma constatação. E quando têm a oportunidade de mostrar serviço - em sua área escolhida - cometem deslizes primários, comprometendo uma carreira. Por que será que isso corriqueiramente ocorre?

São várias as respostas. Mas existe uma muito peculiar. Além de ouvir as frases destacadas acima, também já ouvi outras do tipo "cobro 500 reais por uma monografia, vivo disso". Há evidências mais do que perceptíveis de que estão formando-se cartéis de "produção de monografias". Pessoas, na ânsia de adquirirem um diploma, contratam esses serviços para poderem concluir o trabalho que deveria representar o resumo teórico de seu curso. Pergunto: nessas condições, que conteúdos teóricos, de fato, tais indivíduos apreenderam em sua passagem pelo ensino superior?

Torna-se ilegítima a alegação de que o diploma garante maior capacidade. Depende do diploma. O original, essencial, aquele que representa fielmente as horas de cansaço, de leitura e de produção escrita de trabalhos realmente tenderão a constituir-se em pré-requisito para a seleção. Mas as réplicas, as imitações mal acabadas, acabarão diluindo-se à medida que as exigências do mercado aparecerem. Por isso, a reflexão não pode ser desconsiderada: que conhecimento estamos construindo e que conhecimento estamos deixando para as gerações é uma questão a ser respondida diariamente, pelas nossas ações.

21 de nov de 2010

PROVA DA UNICAMP COBRA 3 REDAÇÕES

As provas da UNICAMP, realizadas neste domingo (21.11) trouxeram algumas mudanças, sendo no caderno de redação a modificação considerada mais radical de todas. Exigiram-se, acreditem, 3 textos para os candidatos que disputam vagas na instituição.
Isso significa que o certame tornou-se mais difícil do que seria em uma situação normal. Se, para a maioria dos alunos de pré-vestibular, única redação já constitui uma incógnita, três textos devem preocupar bastante.
De qualquer forma, tal modelo de exame só demonstra o quanto saber escrever é importante nos dias atuais. Por mais que algumas pessoas ainda não tenham despertado em relação a esse fato, a cada dia ele se torna evidente e somente através da prática podemos esperar que alcancem um nível de excelência para tal habilidade.
UFRN
Próxima semana, é a vez dos candidatos que farão a prova da UFRN. A redação, como sempre, é aguardada com muita ansiedade, e as indagações a respeito dos possíveis temas já começaram há tempos. No Processo para ingresso no ensino a distância, a questão era responder se, em quatro anos, é possível à nova Presidenta erradicar a miséria de nosso País, desenvolvida num ARTIGO DE OPINIÃO. Aguardemos, então, a prova a fim de podermos fazer as devidas análises. Não hesitem em visitar este blog.

15 de nov de 2010

MISÉRIA É TEMA DO VESTIBULAR A DISTÂNCIA UFRN

Um artigo de opinião foi o gênero textual solicitado para a prova de redação, neste domingo, para ingresso ao Ensino a Distância da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Aliás, a prova de Língua Portuguesa se resumiu à redação, reforçando uma tese - para aqueles que acompanham a evolução - de que cada vez mais a escrita se torna importante etapa nos exames em geral.

O tema para desenvolvimento foi a miséria, levando em conta os objetivos concretos do próximo mandato de Dilma Rousseff e analisando-se se em quatro anos é possível erradicá-la do País.

Esclarecemos que a fome constitui - talvez - a mola principal da miséria e, nós, professores, sempre consideramos que temas dessa natureza pudessem ser alvo de provas de vestibular. Independentemente da proposta de redação, sempre é possível se cobrar algo dessa natureza, ou algum tema interligado.

A miséria está conectada à fome, à desigualdade social, à violência, à dependência química, à educação precária. Todos esses fatores geram falta de segurança e de perspectivas. Alguns desses aspectos poderiam ter sido abordados na estruturação do texto.

Um detalhe é que, novamente, a COMPERVE pediu para NÃO ASSINAR o artigo nem mesmo com PSEUDÔNIMO. Um prenúncio da prova do vestibular presencial, que ficará entre ARTIGO e CARTA ARGUMENTATIVA.

Um abraço.

PRÓXIMA SEMANA NA CENTRAL

A próxima semana, especificamente na segunda-feira, terei minha última aula na turma de pré-vestibular da Central de Cursos. Espero que seja das melhores e que possamos tirar todas as dúvidas restantes. No Intensivo, terminaremos a parte gramatical e abordaremos algo sobre redação; no Extensivo, teremos a conclusão da revisão final, com a resolução de 17 questões restantes.

Foi ano meio conturbado, no pré-vestibular, mas sentirei muita falta. Aqueles que se dedicaram e tiveram o intuito teoricamente óbvio de buscar a melhor preparação espero que possam ter extraído algo de positivo em minhas aulas, destinadas - EXCLUSIVAMENTE - a transmitir conhecimento concreto e com base no respeito aos conteúdos programáticos.

Ficou algo meio vago hoje, sem aula, uma vez que, durante 9 meses e 2 semanas (de 08.02 a 22.11), foi isto que fiz sempre às segundas-feiras.

12 de nov de 2010

MODELO DE CARTA ARGUMENTATIVA - PROPOSTA N.º 09 (13.10.2010)

Currais Novos, 24 de outubro de 2010.

Caro Diretor da TV Canção Nova,

Como cidadão politicamente ativo, venho reclamar do comportamento do Padre José Augusto que, durante um sermão, posicionou-se parcialmente na tentativa de persuadir os seus fiéis a respeito da Eleição para Presidente da República, misturando religião e política.

Apesar de o Estado ser laico, a Igreja tem o direito de se posicionar politicamente em relação a projetos e atitudes deste, e não pode aceitar uma exclusão por completo, pois tanto ela quanto o Estado estão a serviço da sociedade. Mas, em ano de eleição, a Igreja deve manter-se atenta quanto a sua postura, para não correr o risco de entrar num determinado campo que não lhe pertence.

Não é que eu seja contra a Igreja; pelo contrário, sou católico, mas como cidadão tenho que discordar do comportamento do Padre, que misturou o sermão da missa com caluniar candidato à Presidência. O direito de se posicionar politicamente cabe a todos nós, mas o de caluniar não cabe a ninguém.

Gostaria que o senhor avaliasse com carinho os pontos que levantei sobre poder manifestar-se politicamente e o comportamento do Padre José Augusto de querer persuadir os fiéis em relação à Eleição para Presidente da República, através de calúnias.

Quero esclarecer que não estou tomando partido de nenhum dos candidatos que estão concorrendo, apenas estou tomando o meu lado como cidadão que sabe que não pode acontecer coisas dessa natureza, como o comportamento do Padre durante seu sermão na missa, que não se comportou de maneira correta, mas de forma perigosa, através de calúnias.

Com meus melhores cumprimentos,

Politicite Religiosa

AUTOR: JARIVAN MARCOS DE MEDEIROS BATISTA

NOTA: 8,00

8 de nov de 2010

HOJE NA CENTRAL DE CURSOS

- Turma do concurso público da UFRN: parágrafo discursivo sobre a obrigatoriedade do voto;

- Turma do pré-vestibular INTENSIVO: revisão gramatical e parágrafo discursivo sobre a obrigatoriedade do voto no Brasil;

- Turma do pré-vestibular EXTENSIVO: Início da revisão geral. Serão 4 aulas: 2 hoje, 08.11, e 02 dia 22.11.2010, uma vez que dia 15.11.2010 será feriado. Num total, serão resolvidas 30 questões de Linguagens, nos mais variados assuntos.

Um abraço, até daqui a pouco.

Cassildo Souza.

7 de nov de 2010

PARA NÃO "FICAR EM CIMA DO MURO"

Sempre alimentei o contrário do que normalmente ocorre: professor de redação não deve tentar "adivinhar"os temas dos vestibulares. Mas, para "não ficar em cima do muro", coloco alguns que podem ser cobrados no ENEM / 2010 (prova de hoje) ou nos vestibulares restantes:

- Aborto;
- Legalização das drogas;
- Gravidez na adolescência;
- Cotas universitárias;
- Eleições 2010;
- Temas ambientais em geral (já caiu no ENEM / 2008);
- Obrigatoriedade do voto;
- Candidaturas esdrúxulas;
- Lei da Ficha Limpa;
- Temas como violência, corrupção e outros correlatos sempre podem aparecer;
- O acesso das mulheres a posições tradicionalmente ocupadas pelos homens.

Pode ser que que nenhum desses tópicos acima venha a ser cobrado na proposta de redação. Ainda assim, o aluno que tem conhecimento de variados assuntos está preparado para qualquer forma de produção textual que lhe for sugerida.

Boa escrita!

DECAÍDA (Cassildo Souza)

Letra de música

MUDE SUAS PRÁTICAS
REVEJA SEUS CONCEITOS
NÃO DISTORÇA OS FATOS, NÃO.

MUDE SUAS TÁTICAS
NÃO ESCONDA SEUS DEFEITOS
NÃO DESTOE A LINDA CANÇÃO.

PARE DE ANDAR PARA TRÁS
ABANDONE OS BAIXOS GOLPES
ELIMINE A HIPOCRISIA.

VOCÊ NÃO VAI DURAR
VEJO UM PEQUENO TRECHO
ONDE IRÁ CAMINHAR.

SAIA DE CENA JÁ
SEU ESPAÇO EVAPOROU
SUA FONTE SE ESGOTOU.

SOBROU NADA E VOCÊ
DE VOCÊ, NADA FICOU
COISA ALGUMA MAIS RESTOU.

MUDANÇAS RADICAIS MOMENTÂNEAS

Queria entender por que as pessoas mudam tanto, de um dia para outro. Por que será que elas aderem à dupla personalidade inexplicavelmente, quando deveriam ser mais equilibradas, mais coerentes - mesmo que para um lado não muito aceitável, mas que tivesse linearidade?

Pessoas instáveis rodeiam-nos corriqueiramente. O pior é quando tais indivíduos fazem parte de nossa convivência. Por mais que digamos que o ser humano é - por natureza - contraditório, os limites existem e certas atitudes às vezes parecem nos deixar perplexos, atendendo a uma personalidade extremamente irregular.

O que esperar de pessoas assim? Quando estarão de bem com vida? Quando estarão enclausuradas em seu próprio ser misterioso? A convivência torna-se cada vez mais difícil, uma vez que ninguém tem o poder de decifrar pensamentos, ainda mais pensamentos altamente indefinidos como os que ora abordo. Talvez caiba a quem controla melhor as instabilidades fazer de conta que tudo está bem, em nome da manutenção do elo.

Nunca seremos todos regulares. No entanto, àquelas pessoas que fazem da irregularidade a sua filosofia de vida, desejo que cotidianamente aprendam a ser mais maleáveis, a manter um nível de conduta mais ou menos previsível ou que não deixe inertes as pessoas próximas, as quais somente desejam harmonia e boa convivência.

5 de nov de 2010

MAIS UMA REDAÇÃO ARGUMENTATIVA (DISSERTAÇÃO) COMENTADA - PARA O ENEM/2010


MERCADO DE TRABALHO: QUALIFICAÇÃO E INICIATIVA

(INTRODUÇÃO)
O mercado de trabalho nunca foi uma expressão tão utilizada como agora. A preocupação por um futuro promissor, mais do que nunca, tem sido muito percebida nos dias atuais, em que se exige muita qualificação profissional e capacidade de iniciativa.

(DESENVOLVIMENTO – 1º ARGUMENTO)
Ser profissional não é simplesmente atuar numa área de trabalho, ter um emprego e exercer algumas funções. Quem não procura melhorar naquilo que realiza, obtendo cada vez mais informações para otimizar o serviço prestado tem a iminência do desemprego à sua frente. Não se admite mais o trabalho baseado no senso comum, sem o mínimo de conhecimento técnico-científico que permita a esse profissional satisfazer as necessidades contemporâneas, inclusive sendo versátil, quando preciso.

            (DESENVOLVIMENTO – 2º ARGUMENTO)
Outro elemento decisivo para a manutenção do emprego é a iniciativa. E ela está intimamente ligada ao trabalho em equipe. Colaborar para que uma tarefa seja realizada, mesmo não sendo diretamente ligada àquilo que se faz, contribui para o fortalecimento daquele grupo, empresa, instituição pública ou qualquer outra esfera. Eis aí um dos fatores mais importantes para ser absorvido pelo mercado de trabalho, cuja ausência provoca um efeito contrário, de conseqüências traumáticas.

(CONCLUSÃO – SUGESTÃO OU SOLUÇÃO)
Nos dias atuais, o profissional que quiser ser bem-sucedido precisa reunir uma série de características, trabalhar em vários campos, relacionar-se bem com as pessoas e ser completamente dedicado. A situação em que se encontra a economia não dá chances a deslizes, por menores que sejam, e cabe a todo profissional a busca incessante para que o tal mercado de trabalho deixe de ser um monstro e passe a ser a solução.

AOS QUE FARÃO O ENEM - DISSERTAÇÃO COMENTADA

Texto dissertativo comentado

Estigma

O Brasil é um país vasto em imensidão e em problemas de cunho social, político e econômico. Casos complexos que estão enraizados no cotidiano de milhões de brasileiros. Porém, dentre tantos, o que incomoda pela maneira como vem sendo tratado é a saúde, um setor em ruínas. Infelizmente, as medidas governamentais que são tomadas não sanam o problema, já que são verdadeiras engabelações.

Na introdução, apresentou, entre outros problemas, o da saúde pública e criticou as medidas governamentais para amenizá-lo: uma prévia do desenvolvimento.

Contrariando o senso comum, o Sistema Único de Saúde (SUS) que deveria salvar e zelar pela vida dos cidadãos, é o órgão que tem matado indivíduos pela burocracia com que trabalha. Médicos incapacitados, farmácias vazias, falta de infra-estrutura e enquanto isso, os senadores aprovando mais um imposto. A CPMF é a prova de que a arrecadação tributária destinada á saúde não funciona no Brasil. Por que então a CSS funcionaria? A questão não é a falta de dinheiro em um país onde os cofres públicos estão sempre abundantes, e sim o mau uso deste. A corrupção, a lavagem de dinheiro são as causas que tentam ser escondidas, mas que estão por trás de um sistema em constante decadência.

No desenvolvimento, detalhou, “trocou em miúdos” as idéias da introdução. Vejamos: especificou, através de exemplos, a ruína da saúde; afirmou os motivos desses problemas, colocando como principal o mau uso do dinheiro público; por último, dentro do mesmo tópico, relacionou o sistema de saúde em decadência à corrupção, o que apresenta seqüência lógica das idéias.

Enfim, o paradoxo entre as realidades é exorbitante. Enquanto parlamentares estão bem acomodados em Brasília, milhares dormem nas calçadas de postos e hospitais em busca de atendimento. A saúde não precisa de impostos mas de transformações que podem ser feitas de uma maneira simples, mas que dependem da boa vontade dos senadores e das escolhas certas feitas nas eleições pelo povo brasileiro.

Na conclusão, encontra ou, pelo menos, sugere soluções para o problema: dinheiro não é prioridade, as transformações no sistema de saúde e as escolhas feitas pelo povo são apontadas como uma forma de amenizar a problemática da saúde pública no Brasil.

O ENEM AGORA VAI?

O ENEM / 2010 reunirá a maior quantidade de alunos (cerca de 4,5 milhões) e também oferecerá mais de 90 mil vagas para acesso às universidades, fatos que credenciam-nos a afirmar que o tão esperado parâmetro para ingresso às instituições de ensino superior provavelmente vingará, agora em 2010.

Sim, porque tudo isso era esperado para o ano de 2009, que acabou sendo marcado por fraudes, manchando a credibilidade do Exame e deixando o mundo das universidades totalmente desconfiado. O fato é que o ENEM mudou seu estilo com a valorização mais do que acertada à compreensão e não mais tão-somente à capacidade de armazenar dados, como geralmente tem ocorrido na maioria dos vestibulares.

Além de oferecer esse número considerável de acessos ao ensino superior, o ENEM deve funcionar como um parâmetro muito interessante para quem ainda prestará outros vestibulares, uma vez que estará sendo realizado num ínterim considerável - cerca de três semanas - para outras datas de seleção.

Por este motivo, ao aluno que amanhã e depois estiver no banco de provas, aproveite ao máximo a experiência, ainda que seja cansativa. Se não servir para ingresso, que seja o laboratório para outras seleções que virão. Não considere apenas mais uma "obrigação" escolar ou uma maneira de não ser excluído (já que a maioria o prestará). Os conhecimentos ali cobrados são bem articulados e exigem - por contrapartida - uma articulação igualmente organizada dos seus candidatos.

Dessa vez, o ENEM parece ter alcançado uma importância ligeiramente maior do que as demais edições, mas para que isso seja confirmado, é preciso, do aluno, todo o compromisso em relação ao conhecimento acumulado durante o ano de 2010.

Muito mais do que uma boa sorte, é um preciso

BOM TRABALHO!!


Cassildo.


3 de nov de 2010

LINK COM PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE DISSERTAÇÃO

http://centraldasletras.blogspot.com/2008/10/perguntas-e-respostas-sobre-textos.html

MODELO DE DISSERTAÇÃO ARGUMENTATIVA EM PROSA

Como o ENEM se aproxima (realizar-se-á neste final de semana), disponibilizo um modelo de DISSERTAÇÃO ARGUMENTATIVA EM PROSA, que tem sido a seqüência textual cobrada pelo Exame desde a sua instituição, em 1998.

A FALTA DE VONTADE POLÍTICA QUANTO À VIOLÊNCIA


Antigamente, quando se falava em assalto, todos ficavam apavorados, sabendo que se tratava de uma situação específica e que dificilmente voltaria a repetir-se; hoje esse ato já é considerado “normal”, e essa normalidade têm tornado as autoridades desmotivadas a resolver, de fato, a situação. Simples: não lhes interessa que as pessoas fiquem sossegadas, sem depender dos discursos e falatórios em época de campanha.


Se todos estivessem em situação de paz, se o número de assaltos e de delitos fosse pequeno e , portanto, não houvesse preocupação, o que os candidatos proporiam em época de eleição? Qual seria o argumento para se pedir voto? É visível o desinteresse e a “desresponsabilização” daqueles que deveriam garantir aquilo a que nossos impostos se destinam. O Governo Federal culpa os Estados que culpam o Governo Federal, e os Municípios, estes nem reclamar podem e, se o fazem, não são ouvidos.


Resolver o problema da violência é tarefa quase impossível. Por mais que se fale que a educação previne a violência, a abordagem atual é de solucionar algo que se arrasta há muito tempo, portanto, medida emergencial. Mas, havendo vontade política, esse quadro alarmante de insegurança da população poderá mudar muito nos próximos anos. É preciso entender que a educação já deveria ter sido valorizada antes para que o drama não ocorresse hoje. Mas, como isto se dá a longo prazo, atitudes firmes precisam ser, urgentemente, tomadas.


A população precisa arregaçar as mangas e tomar uma posição frente ao descaso da segurança. Chega de ser lesado o tempo todo, com falácias inconcretas, que não eliminam tal realidade. Mobilizar-se, cobrar das autoridades, organizar-se civilmente seria uma sugestão interessante de se seguir. Caso contrário, daqui a dez anos, talvez nem estejamos vivos para reivindicar.