22 de abr de 2011

POR QUE ESTUDAR GRAMÁTICA?

Com a crescente mudança no modo como as questões de vestibular são abordadas atualmente, há alguns alunos - e até professores - que questionam o porquê de ainda estudarem certos aspectos gramaticais, como se somente existisse gramática de maneira isolada.

Toda proposta de redação do tipo argumentativa traz a indicação de que deve ser produzida na "norma culta da língua" ou no "padrão culto da língua". Isso, por si só, é condição para que a gramática seja trabalhada nas escolas e nos cursinhos, sem problema algum. É claro que a abordagem hoje é muito mais contextualizada, não por causa das modificações nos vestibulares, mas por uma necessidade de realmente entender a estrutura dentro um espaço maior do que uma simples frase.

Esses dias, um aluno questionou-me pelo fato de, naquela aula específica, eu ter trabalhado apenas a parte sintática, sem dar ênfase à redação. Percebi nele uma ojeriza a estudar as estruturas que compõem o período, bem como seus componentes. Disse para ele, então, que não havia problema de se abordar gramática - numa aula toda - pois em outras aulas completas eu tinha dado ênfase à redação, apenas. A idéia central dele, na verdade, foi me convencer a trabalhar tudo menos gramática, provavelmente por ser algo complexo, enfadonho, enfim, chato.

Entendo, enquanto professor da área, que algumas partes da língua portuguesa, especialmente as que envolvem o estudo do período, sejam realmente cansativas. Mas, assim como nós - os docentes - fazemos, indicamos que os estudantes o façam: transforme aquilo que se considera chato em algo que por necessário se tornará satisfatório. A gramática deve ser estudada, sim, na aula de Língua Portuguesa. Ela só não poderia ser estudada especificamente na aula de matemática, química, física, e ainda assim um equívoco no uso de alguns elementos poderia dificultar uma interpretação ao enunciado, comprometendo a questão.

Embora as questões de vestibular não sejam tão enfáticas quanto ao emprego dos componentes gramaticais, todas elas os trazem implicitamente e, dessa forma, jamais se poderia preterir sua análise. É preciso, urgentemente, que os alunos de ensino médio habituem-se a ler, a escrever, a reescrever, a avaliar e perceber os itens da sintaxe, da morfologia, da fonética, da semântica em suas produções, a fim de entender o que estão escrevendo e, deste modo, poder conscientizar-se da importância que há em se tratar desses mecanismos essenciais ao bom funcionamento da língua.

2 comentários:

Rennan gomes disse...

obrigado pelas dicas e informações
valeu..

CASSILDO SOUZA disse...

Muito obrigado por acessar, Rennan.