PRESENTATION IMAGE

17 de abr de 2011

QUESTÕES DE INTERPRETAÇÃO DE TEXTO COMENTADAS

(UFPB)

Choro

Eram todos negros: uma viola, um clarinete, um pandeiro e uma cabaça. Juntaram-se na varandinha de uma casa abandonada e ali ficaram chorando valsas, repinicando sambas. E a gente veio se ajuntando, calada, ouvindo. Alguém mandou no botequim da esquina trazer cerveja e cachaça. E em pé na calçada, ou sentados no chão da varanda, ou nos canteiros do jardinzinho, todos ficamos em silêncio ouvindo os negros.

Os que ouviam não batiam palmas nem pediam música nenhuma; ficavam simplesmente bebendo em silêncio aquele choro, o floreio do clarinete, o repinicado vivo e triste da viola.

Só essa música que nos arrasta e prende, nos dá alegria e tristeza, nos leva a outras noites de emoções – e grátis. Ainda há boas coisas grátis, nesta cidade de coisas tão caras e de tanta falta de coisas. Grátis – um favor dos negros.

Alma grátis, poesia grátis, duas horas de felicidade grátis – sim, só da gente do povo podemos esperar uma coisa assim nesta cidade de ganância e de injustiça. Só o pobre tem tanta riqueza para dar de graça.

Texto adaptado de BRAGA, Rubem. Um pé de milho. 5 ed., Rio de Janeiro: Record, 1993, pp. 104-105.

01. O texto acima é, do início ao fim, repleto de imagens, conforme atestam os trechos que se seguem, com EXCEÇÃO de:

a) “Eram todos negros: uma viola, um clarinete, um pandeiro e uma cabaça.”

b) “... e ali ficaram chorando valsas, repinicando sambas.”

c) “Alguém mandou no botequim da esquina trazer cerveja e cachaça.”

d) “... ficavam simplesmente bebendo em silêncio aquele choro, o floreio do clarinete, o repinicado vivo e triste da viola.”

e) “Alma grátis, poesia grátis, duas horas de felicidade grátis...”

02. No texto, observa-se que o discurso do cronista Rubem Braga apresenta procedimentos relacionados ora com a descrição, ora com a narração, ora com a dissertação.

A linguagem empregada de forma argumentativa, conforme convém à dissertação, ocorre em:

a) “... sim, só da gente do povo podemos esperar uma coisa assim nesta cidade de ganância e de injustiça. Só o pobre tem tanta riqueza para dar de graça.”

b) “Alguém mandou no botequim da esquina trazer cerveja e cachaça.”

c) “Os que ouviam não batiam palmas nem pediam música nenhuma;”

d) “Juntaram-se na varandinha de uma casa abandonada...”

e) “Eram todos negros: uma viola, um clarinete, um pandeiro e uma cabaça.”

03. As afirmativas abaixo relacionam-se com o texto Choro. Todas são verdadeiras, com EXCEÇÃO de:

a) A riqueza de elementos do universo musical tais como o clarinete, a viola, o pandeiro e a cabaça reflete a relação desses elementos com a cultura negra.

b) A referência ao vocábulo choro traz simultaneamente a idéia de desabafo, através de lágrimas derramadas e de choro como estilo musical de caráter sentimental.

c) A dor vivida é suavizada pela presença dos amigos e pela música.

d) No texto, percebem-se reflexões sobre a política social e o modo de viver do brasileiro.

e) O autor ressalta que, na cidade, apesar de tantas coisas caras, ainda há muitas coisas grátis em favor dos negros.

RESPOSTAS COMENTADAS

01. “E”. Na alternativa “A”, os termos “clarinete”, “pandeiro”, “cabaça” dão idéia de imagens; na letra “B”, as ações “chorando valsas”, “repinicando sambas” também trazem-nos imagens; mesmo modo, “C” e “D”, que remetem, nas ações relatadas e/ou descritas, várias imagens. Na última alternativa, entretanto, os termos “alma”, “poesia” e “felicidade” e, desse modo, não remetem as “imagens” sugeridas no enunciado.

02. “A”. Questão envolvendo TIPOLOGIA TEXTUAL. Nas alternativas de “B”, “C” e”D”, temos narração, relato de fatos; na opção “E”, verificamos descrição, marcada pelo uso do verbo de ligação e predicativo do sujeito. A opção da resposta caracteriza-se pelo posicionamento, emissão de juízo de valor feito pelo narrador do texto que, nesse trecho, é predominantemente argumentativo.

03. “E”. Uma pequena mudança do que está contido na alternativa altera também o sentido do que está no texto. A informação correta é que as “coisas grátis” eram um favor dos negros e não em favor dos negros. Isso descarta a possibilidade de a alternativa “E” estar relacionada ao texto “choro”.

Nenhum comentário: