7 de out de 2011

DEYSE MIRANDA, A METÁFORA DE TODOS NÓS

Conheci Deyse em cursinho preparatório para concursos localizado em Currais Novos. Desde o início, mostrou-se uma pessoa simpática, prestativa, ativa e que tinha muita personalidade. Demonstrava procurar sempre fazer o máximo que estava a seu alcance, falava de suas atividades e projetos. Uma pessoa realmente comprometida com aquilo a que se propusera fazer.

Por questão de incompatibilidade de horário, ela afastou-se do cursinho, mas, nas poucas vezes que nos víamos ou quando comunicávamo-nos pelo Facebook, estava sempre dizendo que voltaria a estudar, que o tempo era corrido, as atividades não a deixavam fazer tudo o que ela gostaria. Chegou a me pedir indicação de um professor de inglês para umas aulas direcionadas à prova de Mestrado que estava decidida a encarar. Parecia sempre desejar um estágio de excelência, a inquietude dela era notória.

Quando soube de sua passagem, pela manhã, fiquei surpreso e ao mesmo tempo intrigado: Deyse morreu indo trabalhar, como já disse em outra ocasião, "digna e honestamente", o que fazia todos os dias. Ela representa uma metáfora de todos nós, profissionais ou estudantes das mais diversas áreas: professores, representantes comerciais, psicólogos, enfermeiros, médicos, advogados e mais uma gama de profissões, que nos arriscamos diariamente nos dirigindo a outras cidades, em busca de uma vida mais digna, honesta e correta; representa a luta das pessoas mais autênticas e afetadas que não se conformam com um mundo muito previsível e injusto à maioria das vezes.

Nós corremos o mesmo risco que ela enfrentava e que - fatalmente - a tragou. Estamos sempre correndo, buscando, lutando, trabalhando naquilo que sempre sonhamos, que envolve nosso projeto de vida desde quando ainda éramos meros adolescentes perdidos numa selva que é a vida; ela estava na sua plenitude, atuando profissionalmente e buscando aperfeiçoamento. Lamentar a morte é bem menos razoável do que tê-la como um exemplo. É racional lembrarmos dessa mulher como alguém que deu a sua vida por um ideal de postura correta e íntegra.

Não conheço sua a família, mas o que eu poderia dizer agora é isso: ela foi e sempre será um espelho de luta pelo profissionalismo, pela ajuda àqueles que - antes de serem seus clientes - eram pessoas, gente. Minha relação com ela não foi assim tão próxima, mas as poucas vezes em que mantinha contato com ela foram suficientes para que eu pudesse traçar-lhe um perfil extremamente positivo e cativante: era uma pessoa única, sabedora do que queria conquistar e como conquistar. Que Deus a acompanhe sempre.

Um comentário:

Cristiny Silva disse...

Linda homenagem, Deyse será sempre um exemplo de perseverança, o pouco contato que tinha com ela, me fez perceber o quanto ela era uma pessoa do bem,que procurar não só atingir seus objetivos, mas também levar algo para contribuir na vida do próximo. Desejo que ela seja acolhida ao lado do pai, e que jamais seja esquecida entre nós.