20 de out de 2011

REVISÃO PARA O ENEM - QUESTÕES E MODELO DE DISSERTAÇÃO ARGUMENTATIVA EM PROSA

01. (ENEM / 2010)


a) a opção pelo emprego da forma verbal “era” em lugar de “foi”.

b) a ausência de artigo antes da palavra “árvore”.

c) o emprego da redução “tá” em lugar da forma verbal “está”.

d) o uso da contração “desse” em lugar da expressão “de esse”.

e) a utilização do pronome “que” em início de frase exclamativa.

RESPOSTA: “C”. Questão de VARIAÇÃO LINGÜÍSTICA. A linguagem informal oral é claramente identificada no uso de “tá”, contração de “está”, observada na alternativa em questão.


02. (ENEM / 2010)

A biosfera, que reúne todos os ambientes onde se desenvolvem os seres vivos, se divide em unidades menores chamadas ecossistemas, que podem ser uma floresta, um deserto ou até um lago. Um ecossistema tem múltiplos mecanismos que regulam o número de organismos dentro dele, controlando sua reprodução, crescimento e migrações.

DUARTE, M. O guia dos curiosos. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

Predomina no texto a função da linguagem

a) emotiva, porque o autor expressa seu sentimento em relação à ecologia.

b) fática, porque o texto testa o funcionamento do canal de comunicação.

c) poética, porque o texto chama a atenção para os recursos de linguagem.

d) conativa, porque o texto procura orientar comportamentos do leitor.

e) referencial, porque o texto trata de noções e informações conceituais.

RESPOSTA: “E”. As funções da linguagem são seis. A única que não apareceu entre as alternativas foi a METALINGÜÍSTICA, mais adequada neste caso. Mas, na falta dela, como o texto aborda conceituação, a resposta é FUNÇÃO REFERENCIAL, comum a textos técnicos, informativos e didáticos.


A figura abaixo é parte de uma campanha publicitária


03. (ENEM / 2007) Essa campanha publicitária relaciona-se diretamente com a seguinte afirmativa:

a) O comércio ilícito da fauna silvestre, atividade de grande impacto, é uma ameaça para a biodiversidade nacional.

b) A manutenção do mico-leão-dourado em jaula é a medida que garante a preservação dessa espécie animal.

c) O Brasil, primeiro país a eliminar o tráfico do mico-leão-dourado, garantiu a preservação dessa espécie.

d) O aumento da biodiversidade em outros países depende do comércio ilegal da fauna silvestre brasileira.

e) O tráfico de animais silvestres é benéfico para a preservação das espécies, pois garante-lhes a sobrevivência.

RESPOSTA: “A”. Questão simples de resolver, especialmente pela falta de opções criativas. Ao aluno bastaria ter conhecimento de mundo sobre as questões ecológicas em si. As outras alternativas são todas absurdas. Poranto, a leitura cuidadosa seria suficiente para se chegar à resposta.


04. (ENEM / 2010)

RESPOSTA: “E”. Questão que envolve conhecimento a GÊNEROS TEXTUAIS e a INTENCIONALIDADE TEXTUAL. Lendo o texto, percebe-se rapidamente o seu teor, a sua intenção comunicativa, que é de aconselhar sobre aspectos da vida cotidiana, fato comum em se tratando de horóscopo.


05. (ENEM / 2010)

RESPOSTA: “C”. Mais uma questão que envolve VARIAÇÃO LINGÜÍSTICA e NÍVEIS DE LINGUAGEM. O texto é específico a uma área técnico-profissional, no caso professores. Desse modo, apresenta características mais específicas e, por isso, envolve a linguagem técnica.


Texto dissertativo comentado

Estigma

O Brasil é um país vasto em imensidão e em problemas de cunho social, político e econômico. Casos complexos que estão enraizados no cotidiano de milhões de brasileiros. Porém, dentre tantos, o que incomoda pela maneira como vem sendo tratado é a saúde, um setor em ruínas. Infelizmente, as medidas governamentais que são tomadas não sanam o problema, já que são verdadeiras engabelações.

Na introdução, apresentou, entre outros problemas, o da saúde pública e criticou as medidas governamentais para amenizá-lo: uma prévia do desenvolvimento.

Contrariando o senso comum, o Sistema Único de Saúde (SUS) que deveria salvar e zelar pela vida dos cidadãos, é o órgão que tem matado indivíduos pela burocracia com que trabalha. Médicos incapacitados, farmácias vazias, falta de infra-estrutura e enquanto isso, os senadores aprovando mais um imposto. A CPMF é a prova de que a arrecadação tributária destinada á saúde não funciona no Brasil. Por que então a CSS funcionaria? A questão não é a falta de dinheiro em um país onde os cofres públicos estão sempre abundantes, e sim o mau uso deste. A corrupção, a lavagem de dinheiro são as causas que tentam ser escondidas, mas que estão por trás de um sistema em constante decadência.

No desenvolvimento, detalhou, “trocou em miúdos” as idéias da introdução. Vejamos: especificou, através de exemplos, a ruína da saúde; afirmou os motivos desses problemas, colocando como principal o mau uso do dinheiro público; por último, dentro do mesmo tópico, relacionou o sistema de saúde em decadência à corrupção, o que apresenta seqüência lógica das idéias.

Enfim, o paradoxo entre as realidades é exorbitante. Enquanto parlamentares estão bem acomodados em Brasília, milhares dormem nas calçadas de postos e hospitais em busca de atendimento. A saúde não precisa de impostos mas de transformações que podem ser feitas de uma maneira simples, mas que dependem da boa vontade dos senadores e das escolhas certas feitas nas eleições pelo povo brasileiro.

Na conclusão, encontra ou, pelo menos, sugere soluções para o problema: dinheiro não é prioridade, as transformações no sistema de saúde e as escolhas feitas pelo povo são apontadas como uma forma de amenizar a problemática da saúde pública no Brasil.

Nenhum comentário: