15 de nov de 2011

OS CAMINHOS DA SINTAXE NOS TERMOS DA ORAÇÃO (CASSILDO)



São termos da oração
O sujeito e o predicado
Sem eles não há conversa
Nada fica combinado
Eles são essenciais
Vamos deixar registrado.

O sujeito é o referente
Personagem principal
Todos falam sobre ele
É a palavra cabal
O predicado indica
Se o sujeito é bom ou mau.

Oração tem de ter verbo
Dela período se forma
Ele é simples ou composto
Temos de entender a norma
E cuidar na concordância
Se não ela se deforma.

O objeto direto
Complementa o sentido
Para que o verbo seja
Totalmente entendido
Pois na língua é condição
Poder ser compreendido.

A pessoa que conhece
Conhece algo ou alguém
Tem de colocar “o quê”
Tem de informar o “quem”
É o tal do objeto
Direto que nos convém.

O objeto indireto
Traz uma preposição:
Precisar de alguma coisa
Pertencer uma seção
Interessar a alguém
Visar a uma ação.

Também são complementados
Alguns nomes abstratos
Complementos nominais
Como colheres e pratos
É caso de certeza
Que se insere nesses fatos.

Os adjuntos são dois:
Há os adverbiais
De tempo, modo, lugar
E os adnominais
Que marcam substantivos
É uma função a mais.

Vocativo é o chamado
Vem em qualquer posição
Começo. meio ou fim
E há a separação
É parecido com o aposto
Não pode haver confusão.

É que o aposto explica
O termo que veio antes
Muitas vezes com a vírgula
São detalhes importantes
Temos que ser conscientes
Escritores ou falantes.

Existe o predicativo
Que qualifica o sujeito
E também o objeto
Nos dois com o mesmo efeito
É somente observar
Para analisar direito.

O agente da passiva
É um termo diferente
Ele pratica a ação
Com sujeito paciente
Pois quando há voz passiva
Sujeito não é agente.

Isso foi período simples
Composto virá à frente
É preciso ter cuidado
E organizar na mente
Cada verbo, uma oração
Estrutura diferente.

Nenhum comentário: