30 de mai de 2011

QUESTÕES RESOLVIDAS

01. PM/RN - A opção que apresenta, respectivamente, as circunstâncias indicadas pelas orações destacadas é:

I – Segundo o FMI afirma, a política econômica do governo é eficiente.

II – Ainda que nossas exportações tenham apresentado um significativo crescimento, não conseguiremos ainda uma certa estabilidade econômica.

III – Como não conhecesse bem nossa língua, apresentou dificuldades em leitura de textos.

(A) tempo, comparação, causa.

(B) conformidade, concessão, causa.

(C) conformidade, concessão, conseqüência.

(D) condição, concessão, comparação.

(E) finalidade, conseqüência, modo.

RESPOSTA: "B". Claramente, observa-se que a oração iniciada por "segundo" poderia ser substituída por "conforme", indicando exatamentea relação de conformidade; o segundo período, iniciado por "ainda que", indica relação de concessão, cujas conjunções poderiam ser "mesmo que", "embora", "apesar", "conquanto", percebendo-se clara idéia de oposição; no terceiro período, a oração destacada indica a causa de se ter apresentado dificuldade na leitura de textos.

02. PM/RN - Transpondo-se corretamente para a voz passiva o verbo da oração “Os reajustes salariais afetaram a previsão orçamentária do Governo Federal”, obtém-se:

(A) era afetada

(B) foi afetada

(C) foram afetadas

(D) foi afetado

(E) foram afetados

RESPOSTA: "B". É só transformar a oração que está na voz ativa em voz passiva. Nesse caso, o OBJETO DIRETO "a previsão orçamentária do governo federal" passará a ser o SUJEITO da oração na voz passiva; o SUJEITO; "Os reajustes salariais" será AGENTE DA PASSIVA; a forma verbal "afetaram" se transformará em locução verbal (SER + VERBO PRINCIPAL NO PARTICÍPIO), concordando com o novo sujeito = FOI AFETADA. A frase resultante seria "A PREVISÃO ORÇAMENTÁRIA DO GOVERNO FEDERAL SERÁ AFETADA PELOS REAJUSTES SALARIAIS.


03. Marque a alternativa correta, quanto à ortografia das orações a seguir:

(A) Saudei todas as dívidas que me estavam atormentando.

(B) Em todos os seguimentos, a humildade faz-se necessário.

(C) O sermão não surtiu os efeitos esperados.

(D) Não olhe para traz; não respondo pelos meus atos.

(E) O réu foi absorvido da acusação de estupro.

RESPOSTA: "C" = O sermão não surtiu (e não "sortiu") os efeitos esperados = frase corretíssima; na "A", "saudei" (cumprimentei) deveria estar como "saldei" (paguei, quitei); na letra "B", a palavra correta seria "segmentos"; na "D", a palavra "traz" vem do verbo trazer, e deveria estar como "trás" (oposto de frente); na alternativa "E", a forma seria "absolvido" (inocentado).

25 de mai de 2011

POR QUE A MALDADE?

Porque o homem é mau. O homem perverso é mau. O homem cruel é mau. O homem mal-resolvido é mau. O homem covarde é mau. Leia-se, em "o homem", o ser humano, a humanidade, incluindo qualquer um que nessa classificação se enquadre. Queremos mais é ver os outros pelas costas, não queremos vê-los bem, porque isso incomoda e "eu tenho de ser único" "eu sou o rei da cocada-preta" "eu tenho a força".

Tenho presenciado inúmeros casos de falta de bom senso entre as pessoas. Chega a ser ridículo o quanto algumas sentem-se mal com o sucesso alheio, a ponto de criarem obstáculos, de agirem covardemente, sem saber que estão demonstrando um escudo contra sua própria fraqueza e falta de iniciativa, às vezes, para atingir o que seu próximo alcançou. Isso é - em verdade - um auto-retrato e só aqueles que não podem conseguir os êxitos autonomamente preferem revelá-lo.

Não adianta ir contra as leis da natureza. Mais cedo ou mais tarde, os maus acabam sendo banidos, não interessa quanto tempo isso levará. Não conheço uma só pessoa de má vontade e que vive de prejudicar os seus semelhantes para se dar bem na vida. O final é sempre, quando não trágico, triste, vazio, sem testemunhas. Evidentemente que não percebem essa antevisão enquanto praticam suas atrocidades, sejam elas físicas, simbólicas ou de qualquer outra natureza.

Melhor que ninguém não é preciso ser. Mas deixar as pessoas viverem sua vida sem colocar pedras no caminho delas é mais que um sentimento positivo. É obrigação, é cidadania, é moral, é ter bons constumes e bons modos. É - em suma - ser bem-resolvido na vida, sem ficar procurando no outro aquilo que não se conseguiu, talvez por falta de iniciativa, ou - na maioria dos casos - por falta de mérito, fazendo crescer em seus corações, cada vez mais, a maldade, a covardia e a fraqueza.

23 de mai de 2011

AULAS DE CONCORDÂNCIA NA CENTRAL

Aulas muito proveitosas hoje na Central de Cursos. Vimos concordância, com resolução de questões objetivas e discursivas. Aqueles que se comprometeram a "digerir" o conteúdo certamente reviram muitos tópicos necessários à produção de um texto coeso e coerente.

A concordância verbal e nominal constitui especial matéria direcionada aos vestibulares e procuramos tratá-la com atenção distinta. Foram questões de várias naturezas, com a participação ativa dos alunos tanto à tarde quanto à noite.

Próxima semana, estaremos de volta com o conteúdo de variações lingüísticas, tema bastante cobrado nos vestibulares modernos e preocupados com a crítica sobre os diversos ramos de manifestações da linguagem.

22 de mai de 2011

O QUE É ANIVERSARIAR?

Para mim, a melhor coisa em aniversário é receber felicitações dos amigos. Tudo que exceder isso aí, em meu entender, passa a se configurar numa obrigação social de celebrar apenas um marco temporal, numérico, coisa assim.

Hoje, ao completar mais uma temporada de vida, nada de "especial" planejei para mim. Não poderia deixar de usar este espaço para comentar o meu dia de aniversariante. Quantitativamente, talvez tenha sido o aniversário em que recebi mais votos de parabéns, de felicidades, de sucesso profissional, de saúde. É muito bom saber que algumas pessoas nos consideram e que reconhecem nosso trabalho e postura como ser humano, como cidadão.

Meu dia não poderia ter sido melhor. Trabalhei, assisti a jogos do Campeonato Brasileiro, corrigi trabalhos, tudo conforme acontece nos dias ditos normais. E meus maiores presentes não vieram hoje, por ocasião do natalício. Eles apenas continuaram na presente data: disposição, saúde, trabalho, amigos. Disse, numa outra rede social, pela qual me foi repassada a maioria dos desejos de "muitos anos de vida", que presentes iguais a esses eu não poderia esperar.

E ainda deu tempo para receber Thiago e Luzia, casal amigo, que dividiu conosco o resto da tarde e início da noite. Chego aos 33 anos de idade, tranqüilo, bem resolvido, em paz comigo mesmo e, melhor, tendo a disposição dos 23 anos para trabalhar, produzir, enfim, viver aquilo que sempre quis.

Obrigado a todos que me felicitaram. Estão guardados em mim.

Um abraço,

Cassildo.

21 de mai de 2011

O QUE ESCREVER, QUANDO NÃO SE TEM NADA A FALAR?

Após uma tarde de sono profundo, descansando alguma coisa dessas semanas loucas - mas prazerosas - de trabalho, fico a pensar o que poderia postar no blog, já que me incomoda o fato de passar mais de cinco dias sem escrever alguma coisa neste espaço que trato com distinção peculiar.

Pensei em fazer um artigo sobre um assunto geral, quem sabe abordando o discurso de Amanda Gurgel, na Assembléia Legislativa - no entanto, isso não é mais novidade, muita gente já teceu comentários e eu seria redundante; pensei em falar sobre o egoísmo da humanidade, mas não me vieram idéias para produzir um texto que falasse algo de concreto; pensei, por último, em não falar nada e deixar o blog desatualizado mesmo, com a concepção de que seria melhor permanecer assim do que escrever por escrever, dizendo o que não interessa.

Acontece que quando gostamos de escrever, incomoda-nos profundamente não saber exatamente o que abordar, já que se tem essa prática como algo importante e que faz parte da nossa característica. Sempre haverá sobre o que escrever, e essa reflexão que ora faço já me rendeu quase três parágrafos, praticamente o teor da maioria dos artigos de opinião, embora este não seja necessariamente um. Sempre haverá sobre o que reclamar, elogiar, criticar, porque o mundo, por força do tempo, não para nunca.

Prometo aos leitores do blog que - tão logo eu tenha assunto concreto - voltarei a postar, não quis nesta primeira semana após o concurso dos Correios tratar da referida prova uma vez que já fora demais comentada. Dicas de redação já existem muitas em vários pontos da página e eu não quero ser repetitivo. Mas sempre estarei inquieto por um assunto que me faça reproduzir o pensamento, justificando a proposta para a qual foi criado este site.

Até breve, com um assunto novo e concreto.

Cassildo.

15 de mai de 2011

MODELO DE ARTIGO DE OPINIÃO SOBRE CASAMENTO PARA PADRES

Adequando-se ao nosso tempo

Catolicis Matrimonus

Assunto complexo é que envolve a discussão sobre o casamento para padres apostólicos romanos, tem absurdo, para alguns extremistas, mas que tem despertado interesse da sociedade, principalmente após o conhecimento de que, apenas no Brasil, existem mais de 7 mil sacerdotes em situação de matrimônio ou união estável.

Opinar sobre tão complexa matéria é um deveras um desafio, no entanto, enquanto cidadãos, temos o direito e especialmente o dever de nos posicionarmos. Sabemos que a Santa Igreja Católica baseia-se em princípios e dogmas milenares, os quais respeito profundamente, mas é preciso, dada a nossa realidade, rever alguns desses preceitos, e o casamento envolvendo seus padres é um deles. Quando m individuo é ordenado sacerdote, acaba concordando em dedicar-se exclusivamente à obra de Deus, o que inclui também não relacionar-se de forma conjugal. No entanto, o simple fatos de constituir uma orientação milenar não deve servir de argumento para não considerar a revisão de tais conceitos.

Tradições podem ser quebradas, sim. Não nego jamais a capacidade dos membros do Vaticano em tomar decisões acertadas, mas a realidade nos mostra traumas profundos que a Igreja tem sofrido nos últimos tempos, isso para não resgatarmos as atrocidades que a história remonta. Atos de pedofilia e casamentos ocultos são só alguns exemplos, o que torna a Instituição vulnerável. A proibição do matrimônio para sacerdotes gera uma série de outros erros, pois quando sentem a necessidade de estar ao lado de alguém, o fazem sem o devido consentimento de seus superiores e, assim, agem contra suas próprias concepções.

Não há - nem haveria por quê - qualquer empecilho entre um padre casar, constituir família, filhos e continuar exercendo seu ofício. Em outras religiões, sem querer fazer comparações, isso é perfeitamente viável. É melhor rever certos preceitos do que alimentar hipocrisias, uma vez que os erros cometidos são concretos. Caso contrário, os membros da Igreja continuarão a desviar-se dos dogmas, mesmo que ocultamente, por serem homens comuns e terem as mesmas necessidades físicas e psicológicas de outra pessoa, ainda que tenham jurado servir somente à Igreja. O casamento direcionado aos padres seria, na certa, uma decisão revolucionária, sábia e benéfica à firme manutenção do Cristianismo.

MODELO DE CARTA ARGUMENTATIVA SOBRE CASAMENTO PARA PADRES

Currais Novos, RN, 12 de maio de 2011.

Santíssimo Papa Bento XVI,

Assunto complexo é o que alude ao casamento envolvendo padres vinculados a essa Instituição, coordenada por Vossa Santidade, matéria bastante comentada, especialmente no Brasil, onde mais de 7 mil sacerdotes encontram-se em tal situação de matrimônio ou em união estável.

Sou sabedor de que a Santa Igreja apóia-se em dogmas milenares, construídos paulatinamente, os quais preceituam a dedicação exclusiva de seus servos, exigindo-lhes não manterem qualquer relacionamento conjugal. V.S. haveria de me repreender afirmando que um padre não teria tempo para várias atribuições, o que considero equívoco, visto que a geração corrente não deve ser comparada a civilizações antigas. Estamos na era em que as pessoas conseguem atender a vários chamados simultaneamente, sem, no entanto, haver interferência entre um e outro e, sinceramente, não enxergo incompatibilidade entre exercer a função de um sacerdote e constituir família.

Não querendo contrariar as doutrinas que regem o Cristianismo, sugiro a Vossa Santidade analisar, junto aos conselhos que compõem o Vaticano, se não seria hora de rever alguns conceitos estabelecidos pelo Catolicismo, adequando-os ao nosso tempo. Em minha visão - repito - não existe qualquer empecilho que para que essa mudança seja considerada. Sem querer comparar, a maioria das outras denominações religiosas permite que seus representantes possam conviver com uma mulher, ter filhos e, ainda assim, eles permanecem a serviço da Palavra de Deus, inclusive vivenciando na prática aquilo que ensinarão a seus fiéis.

É assim que me pronuncio, respeitando os preceitos que orientam a religião católica. Penso, Santo Padre, que o tema é deveras árduo, mas precisa ser discutido. Ao liberar o casamento para os sacerdotes da Igreja, o Vaticano poderia, quem sabe, estar contribuindo para que alguns escândalos vivenciados pela Instituição fossem amenizados. Padres são seres comuns, de carne e osso, ainda que tenham o dom espiritual e retórico de nortear o bom caminho a seus seguidores. Precisam ter uma esposa, filhos, uma família própria, vivendo com consciência tranqüila e necessidades satisfeitas.

Com a sua bênção,

Catolicis Matrimonus.

13 de mai de 2011

ABOLIÇÃO DA ESCRAVATURA?

Hoje, não sei por minhas andanças profissionais, não vi muito falarem sobre a Abolição da Escravatura, nos meios de comunicação que nos rodeiam. Aliás, nem sei por que, após ter chegado de Acari (sempre bom), estou tratando desse tema. Ou, talvez, eu queira dizer que a escravidão, de uma forma ou de outra, nunca foi abolida.


Costumamos relacionar a escravidão à cor, pois foi assim a maneira como aprendemos que ela se estabelecia. Os negros, apenas por assim serem, eram mandados a trabalhar em regime de cárcere total, recebendo castigos intragáveis, alguns chegando até a morrer por "desobedecer" às ordens de seus senhores, tratados como animais da pior espécie. e não tinham escolha, não tinham recursos, não tinham outra opção, acabaram acostumando-se, mesmo convivendo com tamanha falta de bom senso.


É bom lembrar que a cor negra também era uma metáfora da falta de posses, uma vez que pessoas de cor escura que tinham dinheiro também comprava e vendia escravos. A hipocrisia do tempo atual não difere muito daquela época remota, o fato de possuir bens acaba "mascarando" aquilo que provavelmente é motivo de discriminação em situação normal. A escravidão era um bom negócio e - na verdade - era também um atividade cobiçada por gente. O Brasil foi praticamente todo formado assim.


Hoje, fala-se em 13 de Maio, como se as coisas estivessem resolvidas. Mesmo terminando o dia, é bom lembrar que um número bastante grande de pessoas ainda vive em escravidão: crianças, jovens, adultos, que se arriscam em atividades duras e sem remuneração, como os boías-frias que enfrentam as plantações de cana, trabalho dos mais cruéis para um ser humano, segundo quem já teve tão ingrata experiência. Donos de fazenda mantêm empregados sob cárcere, impedindo-os de fugir, e enriquecendo às custas de uma prática repudiável, como se homens fossem objetos.


Como vemos, muita coisa mudou do ponto de vista da maneira como se dá a escravidão. No entanto, nós precisamos admitir que ela não foi abolida no ato da assinatura da Lei Áurea, porque, em outras instâncias e com outras estratégias, há uma tendência de patrões enriquecerem pelo trabalho árduo dos pais de família que não têm lazer, não têm tempo para os filhos, nem recebem aquilo a que realmente seu trabalho faz jus. A escravidão, hoje, é pior, porque em nossos dias, o que esperamos é progresso e não atos retrógrados, que remontam aos tempos de nosso descobrimento.

8 de mai de 2011

NOTA DE ESCLARECIMENTO

NÃO ADERI AO MOVIMENTO DE GREVE E, POR ESTE MOTIVO, ESTOU MINISTRANDO AS AULAS NORMALMENTE TANTO NO TURNO MATUTINO QUANTO VESPERTINO NO TRISTÃO DE BARROS. DEIXO CLARO, TAMBÉM, QUE SE TRATA DE UM POSICIONAMENTO PESSOAL, E RESPEITO INTEGRALMENTE A DECISÃO DOS COLEGAS QUE RESOLVERAM ADERIR À REFERIDA GREVE, COMO É DE ESPERAR EM SE TRATANDO DE PESSOAS CIVILIZADAS E FORMADORAS DE OPINIÃO.

POR ESTE MOTIVO, COMUNICO AOS ALUNOS QUE ELES DEVERÃO COMPARECER NORMALMENTE ÀS AULAS DE LÍNGUA INGLESA. O PROFESSOR DE MATEMÁTICA, ERLEILSON SANTOS, E PROFESSORA DE QUÍMICA, KATARINA DE SENA, TAMBÉM CONTINUAM TRABALHANDO NORMALMENTE.

CASSILDO SOUZA.

PROPOSTA DE REDAÇÃO EM SALA - CENTRAL DE CURSOS (02.05.2011)

A publicação da proposta de redação a seguir refere-se a produção textual em sala, na Central de Cursos, em 02.05.2011. A tarefa foi um sucesso, tendo participado 63 alunos da tarde e 48 da noite, totalizando 111 redações produzidas. Acabei há pouco de corrigi-las todas elas (levei o dia todo). Foi cansativo, mas valeu a pena, pela maneira como a maioria encarou a sugestão da atividade em sala de aula. Alguns chegaram, inclusive, a apostar que não daria quorum. Está disponível para quem quiser redigir e enviar para o em-mail duvidasnoar@hotmail.com.

Parabéns a todos os alunos que participaram, compreendendo a essência do trabalho.


CENTRAL DE CURSOS – OS CAMPEÕES EM APROVAÇÃO

PROPOSTA DE REDAÇÃO ESPECIAL – 02.05.2011

Coordenação: Professor Cassildo Souza (REDAÇÃO)

PRODUÇÃO TEXTUAL EM SALA

Brasil tem mais de sete mil padres casados ou vivendo em união estável

Redação SRZD | Nacional | 25/04/2010 19:48

De acordo com o Movimento Nacional das Famílias dos Padres Casados, o Brasil possui mais de sete mil padres casados ou vivendo em união estável. Dos cerca de 500 que fazem parte do movimento, 40 são de Fortaleza.

Segundo José Edson da Silva, 41 anos, presidente do movimento, a proibição do casamento por parte da Igreja faz com que os padres não assumam a paternidade, principalmente pelo fato de não querer abandonar os benefícios concedidos pela instituição religiosa.

"O mercado de trabalho é exigente e quando somos padres, temos tudo - carro, casa, emprego e a segurança que a instituição dá. É muito cômodo se manter nessa situação", afirmou.

http://www.sidneyrezende.com/noticia/83439+brasil+tem+mais+de+sete+mil+padres+casados+ou+vivendo+em+uniao+estavel

Há muito discutido, o casamento para padres católicos sempre constitui matéria polêmica, principalmente pelo conservadorismo existente por parte da Igreja, bem como pela sua doutrina, firmada numa tradição milenar. Com base no texto anterior, escreva uma CARTA endereçada ao Papa BENTO XVI, posicionando-se a respeito do casamento envolvendo os citados padres, o que lhes permitiria constituir família e – ao mesmo tempo – continuar exercendo suas funções eclesiásticas. O teor apelativo da carta deverá responder à seguinte questão: A Igreja Católica deve liberar o casamento para seus padres?

( ) SIM ( ) NÃO ( ) EM PARTE

INSTRUÇÕES:

Þ Evite, ao máximo, rasuras;

Þ Assine sua Carta Argumentativa com o pseudônimo CATOLICIS MATRIMONUS; a assinatura com o nome original implicará em nota zero;

Þ Escreva, no mínimo, 15 e, no máximo, 40 linhas;

Þ Escreva seu texto, PREFERENCIALMENTE, no verso desta proposta;

Þ Serão analisados os seguintes aspectos: emprego adequado da norma culta; análise correta e coerente do tema proposto; aspectos coesivos; estrutura textual adequada à tipologia e ao gênero textual.

Nome do aluno: ___________________________________________________________________

( ) VESPERTINO ( ) NOTURNO