23 de mai de 2012

MUDAR O AMBIENTE ESCOLAR: INÍCIO SIMPLES, MAS DECISIVO


Há muito tempo eu venho tentando abordar alguma coisa ligada aos ambientes que as escolas proporcionam a seus alunos. Sempre esteve em mim a tese de que a agradabilidade do local que eles realizam seu aprendizado é decisiva para que possam concentrar-se, focar-se nos temas ministrados pelos professores. Há três semanas venho, sempre que possível, com incentivo da Supervisão Pedagógica, conduzindo meus discentes de Língua Inglesa para a Sala de Multimídia: nada de extraordinário, mas é climatizada, com estrutura de áudio e som. Nesse pouco tempo, é impressionante a diferença de atitude e a interação com o professor.

Fico pensando como uma coisa tão simples pode ter resultado tão positivo. Embora pareça óbvio que seja quase impossível os alunos permanecerem tranqüilos - numa região em que a temperatura está atingindo limites incomuns, por causa da seca -, ter essa confirmação na prática me levou a refletir por que ainda somos tão atrasados. Condições básicas como o conforto e o bem-estar estão longe do que seria o ideal, para depois pensarmos em questões pedagógicas, de qualificação, valorização, etc. O planejamento deveria começar daí, especialmente com um olhar para as especificidades, o que - em nosso caso - exigiria pensar nas altas temperaturas que uma sala de aula lajeada enfrenta.

Para se ter uma melhor referência, basta dizer que os próprios estudantes já têm me solicitado que as aulas sejam sempre lá. Explico-lhes que aquele é um ambiente de todos, quando é necessário usar as mídias de áudio e vídeo, a TV, a climatização e até mesmo as mesas e cadeiras que tornam as atividades em grupo mais viáveis e mais aceitáveis. Nosso modelo de classe é ainda desestruturado. Nossos ancestrais da educação entendiam que estudar era uma tarefa burocrática e que de qualquer maneira poderíamos amontoar os alunos uns em cima dos outros, sem ventilação, sem visibilidade, sem material de qualidade. Hoje, mesmo com tantas mudanças, principalmente teóricas, ainda temos que nos desdobrar nos conteúdos a fim de compensarmos falhas de outras naturezas. 

Seria tão fácil, se houvesse ação das autoridades responsáveis, iniciar pelas coisas mais banais. Não imagino que seria caro dotar a maioria das salas de aula com climatização, projetores e um amplificador. Bastaria isso para quem sabe já termos uma mudança significativa. Ouvimos todos os dias falarem sobre as novas tecnologias, inclusive cobrando-se que os docentes se atualizem. E no entanto, essa exigência torna-se incoerente já que a estrutura na qual os alunos irão realizar o processo de aprendizagem não dispõe, geralmente, do mínimo para que eles sintam-se confortáveis, à vontade e motivados a explorar a gama de conhecimentos que lhes tentamos transmitir.

Levanto a questão da simplicidade. Iniciemos por aquilo que nos é lógico, fácil e barato. Clientela estudantil tem de ser tratada com respeito. Ninguém - em sã consciência - pode exigir que jovens se sintam-se desconfortáveis ao mesmo tempo em que tentam aprender conteúdos muitas vezes complexos (mas necessários) numa carteira quente e dura, todos os dias em 5 horários. A experiência própria me autoriza a afirmar isso, e ainda ressalto que a minha escola é relativamente bem estruturada. Em outras instituições eu não teria como conduzir esses meninos a ambientes mais agradáveis, que por serem limitados nem sempre permitem a realização das atividades lá em todas as disciplinas. Condicionar de conforto o ambiente escolar é um começo simples, mas barato e decisivo.

Um comentário:

O Estudante disse...

Sem dúvida... 'Início Simples, mas decisivo"... Atitude mais do que simples e na qual gera bons resultados!
Há também o fato, que passa muito despercebido sobre organizar à sala de aula em fileiras, um atras do outro... Fato este comentado em um livro muito interessante do Médico Augusto Cury,porém não recordo o nome, no qual diz respeito ao lado negativo deste costume, o certo seria uma organização no mínimo circular promovendo a interação dos alunos e não a individualização... Atitude simples mas faz a diferença futuramente!
Sempre acompanho seu blog, não deixe de acompanhar o meu www.vidaestudant.blogspot.com.br

Abraço e Parabéns pelo artigo!
(Se puder desconsiderar/apagar o comentário com o meu nome S**** e manter este agradeço)...