9 de mai de 2012

QUAL É O TEMPO IDEAL PARA UMA PROVA ESCOLAR?

É mesmo interessante a postura de nossos alunos. Para quem vive a profissão - na prática, todos os dias em pelo menos uma sala de aula - trata-se realmente de um aprendizado sem limites. Estamos sujeitos a experiências inusitadas e surpreendentes. Coisas, muitas vezes, às quais nunca nos acostumaremos. Hoje, por acaso, neste exato momento, estou sendo "testado" por essas situações, durante a realização de um exame para concluir a 2ª unidade, na Escola Estadual "Tristão de Barros". 

Qual seria o contexto dessa introdução? Alunos habituaram-se a reclamar do pouco tempo disponibilizado para as provas. Muitos acham que duas aulas são ideais para se ter condições de raciocinar com calma, resolver as questões e depois conferi-las. Pois bem. Como só tenho uma aula em cada turma, qualquer que seja o dia da semana, geralmente elaboro um teste que esteja adequado a essa realidade (para 50 minutos), temendo que eles possam não terminar a tempo e atrapalhar as outras turmas, que estão realizando as mesmas atividades. Surpreendentemente, mais de 50% de todas as séries não esperam meia hora para entregar a prova resolvida. Agilidade? Praticidade? Técnicas para solucionar os problemas? Infelizmente, não é isso que os resultados têm mostrado.

Talvez a pressa em terminar seja resultado da ansiedade pelo próprio medo de que o tempo não seja suficiente. Ou pode significar a falta de conteúdo que lhes permita refletir melhor, abrangendo as possibilidades de soluções às propostas formuladas. A falta de paciência decorre de diversos fatores, não cabendo aqui precisá-los. O fato é que muitos devolveram a folha em menos de 20 minutos, quando o tempo ideal, para quem estivesse bem preparado, seria de 35 a 40. Fico a perguntar-me: se o tempo fosse de 1h40, que corresponde a 2 aulas, será que os alunos o utilizaram na totalidade? Não há uma resposta objetiva, pois isso também poderia acabar influenciando em sua decisão.

Se todas as incógnitas relacionadas à postura dos alunos já tivessem sido resolvidas, creio que talvez ficássemos procurando problemas onde não existiriam. O processo, a relação entre aluno e professor, seja no âmbito afetivo, da metodologia ou dos resultados, é - por natureza - complexo. Tais enigmas é que nos movem a continuar buscando melhorias em nossa atuação, tentando fortalecer cada vez mais a ponte entre teoria e prática. Não existe realmente o tempo perfeito para a realização de um exame escolar. Depende da disciplina, do estilo da avaliação, de quantas questões foram elaboradas e, no caso específico das Linguagens e Códigos - Língua Estrangeira, o tamanho do texto também interfere. Talvez a contradição que encontramos em nossos discentes seja apenas reflexo da complexidade do que lecionamos e, consequentemente, lhes cobramos.

3 comentários:

LS disse...

Infelizmente também como muitos, presenciei constantemente esse fato "Provas sendo entregues em menos de 20 min"....
Ou seja, alunos que colocam a pressa em primeiro lugar, onde o objetivo é terminar primeiro e não ter uma nota alta,utilizando todo o tempo necessário!
Mas acredito fielmente que este fato ocorre devido ao fato de que somos treinados desde pequeno a fazer uma pequena prova de no máximo 20 questões em no máximo 50 min...(maioria das provas são de 10 questões)... Então logo que chegamos por exemplo no ens. médio já somos acostumados a fazer provas curtas! Logo que nos deparamos com um vestibular por exemplo, descobrimos que não sabemos controlar nossa ansiedade, não conseguimos nos concentrar!
Acredito que culpa está no modo de ensinar, não ao professor, mas a metodologia do Ens. Brasileiro mesmo, um problema complexo e muito amplo!

Acompanhe o meu blog tambem: vidaestudant.blogspot.com.br

abraço!

LS disse...

Infelizmente também como muitos, presenciei constantemente esse fato "Provas sendo entregues em menos de 20 min"....
Ou seja, alunos que colocam a pressa em primeiro lugar, onde o objetivo é terminar primeiro e não ter uma nota alta,utilizando todo o tempo necessário!
Mas acredito fielmente que este fato ocorre devido ao fato de que somos treinados desde pequeno a fazer uma pequena prova de no máximo 20 questões em no máximo 50 min...(maioria das provas são de 10 questões)... Então logo que chegamos por exemplo no ens. médio já somos acostumados a fazer provas curtas! Logo que nos deparamos com um vestibular por exemplo, descobrimos que não sabemos controlar nossa ansiedade, não conseguimos nos concentrar!
Acredito que culpa está no modo de ensinar, não ao professor, mas a metodologia do Ens. Brasileiro mesmo, um problema complexo e muito amplo!

Acompanhe o meu blog tambem: vidaestudant.blogspot.com.br

abraço!

CASSILDO SOUZA disse...

Verdade, LS. Obrigado por acessar este espaço e por compartilhar ideias que levam ao crescimento do conhecimento. Deixei um comentário no seu blog e meus parabéns pela iniciativa. Grande abraço!