1 de set de 2012

COMO PRODUZIR PARÁGRAFO INTRODUTÓRIO (ISOLADO DE 14.08.2012)


COMO INICIAR UMA REDAÇÃO – PARÁGRAFO INTRODUTÓRIO

Um dos maiores problemas enfrentados por alunos pré-vestibulares é o início de um texto argumentativo, já que não existe nada sobre o texto que se vai começar.
Há várias maneiras de se construir um parágrafo de introdução. Nele deve ser apresentado o TEMA e pode estar contida a TESE, que norteará todo o restante do texto. Nessa perspectiva, fazer uma boa INTRODUÇÃO constitui uma condição imprescindível para que a redação atinja seus objetivos e mantenha unidade, coerência e coesão. Vejamos 10 formas de se introduzir um texto dissertativo em prosa.

1. APRESENTAÇÃO DE TESE JÁ FORMADA SOBRE O TEMA

“Ser profissional não é simplesmente atuar numa área de trabalho, ter um emprego e exercer algumas funções. Quem não procura melhorar naquilo que realiza, obtendo cada vez mais informações para otimizar o serviço prestado tem a iminência do desemprego à sua frente. Não se admite mais o trabalho baseado no senso comum, sem o mínimo de conhecimento técnico-científico que permita a esse profissional satisfazer as necessidades contemporâneas, inclusive sendo versátil, quando preciso.”
(Cassildo Souza)

2. CONCEITUAÇÃO – MANEIRA BASTANTE COMUM

“A gíria é um patrimônio comum, é um instrumento de comunicação que parece imprescindível, sobretudo, para a juventude. Até mesmo as gerações que a condenavam acabaram por assimilar algumas expressões de maior ocorrência.”

(Thaís Montenegro Chinellato)

3. APRESENTAÇÃO DE DADOS ESTATÍSTICOS

“De acordo com a revista Veja, levantamento feito em 4.430 cidades brasileiras (de um total de 5.565), pela Confederação Nacional dos Municípios, aponta o consumo de crack em 91% das localidades estudadas, resultado assustador e preocupante em relação a uma droga que tomou conta do Brasil e a qual não será fácil enfrentar.”
(Cassildo Souza)

4. NARRAÇÃO DE ACONTECIMENTOS (FLASHES)

 “Dentro de uma ambulância, um paciente está em estado grave. Perto dele, um médico jovem, com pouca experiência nesse tipo de atendimento, tenta dar os primeiros socorros. Mas a situação se complica. Neste momento, muito longe daquele local, entra na operação de socorro um outro médico, profissional bem mais experiente, capaz de comandar com tranqüilidade uma situação como essa. Ele está no hospital para onde o paciente está sendo levado. Esse médico também vê, por uma tela de televisão, o próprio paciente. É como se ele estivesse lá. Situações como essa, que a princípio parecem ser privilégio do futuro, poderão ocorrer mais breve do que se imagina.”
(Cilene Pereira, IstoÉ)

5. APRESENTAÇÃO DE INTERROGAÇÕES

“Será que existem fatos ( não preconceitos ) a confirmarem a inépcia ou mesmo a inferioridade de certas raças, estacionadas durante o processo evolutivo, a meio caminho entre o animal e o homem? São perguntas, não afirmações. Mas, por que admitiríamos, no plano individual, a existência de gênios e retardados e tememos fazê-lo no plano racial?”
(Emir Calluf, Gazeta do Povo)

6. CONTESTAÇÃO / REFUTAÇÃO DE OPINIÕES

“Entre os debates mais intensos que permeiam a sociedade atual, uma questão que não pode ser colocada em segundo plano certamente é a descriminalização do aborto. Os que defendem tal legalidade afirmam que, uma vez aprovada, a lei priorizaria o acesso a métodos seguros de extração, em caso de gravidez indesejada, com a justificativa se preservar a vida da mãe. Porém, o caminho mais coerente seria incentivar a prevenção, ao invés de se alimentar a prática de um crime na mais aceitável significação da palavra.

7. ALUSÃO HISTÓRICA

“Desde que aprendeu a manejar o fogo e a roda, o homem passou a gerar uma força produtiva, a qual desencadeou as invenções, as conquistas e o progresso. Mas essa produtividade prejudicou o relacionamento entre os povos, assim como entre patrão e empregado, no domínio pela tecnologia e na exploração da mão-de-obra.”

8. CARACTERIZAÇÃO DE ASPECTOS FÍSICOS

"Um corredor superlotado, pessoas deitadas pelo chão, nas macas, sobre pias, em péssimas condições de higiene e de saúde: eis uma fotografia da perversa realidade brasileira na área da saúde."

9. EMPREGO DE CITAÇÕES

'Navegar é preciso, viver não é preciso'. Com leve estremecimento de susto aplica-se o antigo verso do poeta Fernando Pessoa ao sistema de informação, pesquisa e correspondência por computador, a comunicação on line, a Internet.”

(Marilene Felinto)

10. ALGUNS FATOS REPRESENTATIVOS

 “Que países em guerra, ou vítimas de catástrofes, tenham conhecido e ainda conheçam a fome, é compreensível, ainda que não se explique. Que países vítimas de clima ingrato e solo ainda mais ingrato tenham que dosar a ração alimentar, entende-se.” 
(Marilda Prates

Nenhum comentário: