3 de dez de 2012

MAL e MAU - QUANDO O "MAU" USO GERA PROBLEMAS

Com o blog NA PONTA DOS DEDOS E NA PONTA DA LÍNGUA (www.centraldasletras.blogspot.com) no ar há quatro anos completados em novembro/2012, temos honradamente ultrapassado a marca de 1 milhão de internautas que nos acessaram. Isso se torna um pouco incoerente, porque o número de comentários é inversamente proporcional. Mas na última semana, recebi mais sugestões do que normalmente acontece, tudo porque ao postar um texto, eu - que sempre estou lecionando sobre isso - acabei usando MAL quando caberia MAU.

O mundo parece ter caído, já que recebi comentários pelo erro tanto no blog quanto na página do www.facebook.com/centraldasletras. "Mestre, o senhor é contra o MAU uso e não o MAL uso, né mesmo?". Frases desse tipo povoaram meus perfis. Todos podem cometer - digamos - um equívoco, mas eu, que prego a correção gramatical (embora sem tanto rigor, já que existem as variaçoes lingüísticas) fui vítima de meu "próprio veneno", assim podemos afirmar. Coisas de quem vive na correria, que faz um texto, refaz, muda as construções e, de repente, esquece-se de modificar uma palavra com exigência pela mudança de estrutura.

Na verdade, o uso de MAU e MAL tem provocado traumas profundos. Não é uma coisa tão complexa, mas os fonemas representados pelas letras, no grosso, são os mesmos e isso pode confundir o redator, mesmo aquele que possui conhecimento do emprego do vocábulo, como o nosso caso, que trabalhamos com a língua portuguesa. Fizemos um texto sobre o uso de dispositivos eletrônicos em sala de aula, em que a primeira construção dizia "...usar MAL esses dispositivos em sala de aula pode causar prejuízos ao aprendizado." Como vocês percebem, trata-se de algo que soa MAL (dessa vez corretamente grafado) e então resolvemos modificar para "...os prejuízos que o MAL uso desses dispositivos pode causar à aprendizagem.". Já viram que o certo seria "MAU (RUIM) uso desses dispositivos". Foi aí que começaram a me cutucar.

Por uma parte isso tem pelo menos dois pontos positivos: se reclamaram muito de mim, é porque não esperavam que eu cometesse tamanho deslize. De repente, estou tornando-me uma referência, quem sabe! Já pensou, que barato seria? O outro ponto positivo é que os alunos que me acompanham nas páginas da internet aprenderam direitinho como se usa MAU e quando se usa MAL. Por via das dúvidas, para que ninguém seja traído como eu, resumo: MAL significa 1.PERVERSIDADE (quando usado com artigo "o", funcionando como substantivo), 2.DE MANEIRA INADEQUADA (funcionando como advérbio, indicando forma, jeito, maneira) e 3.LOGO QUE / ASSIM QUE (quando na função de conjunção subordinativa temporal); MAU, por sua vez, é antônimo de BOM (por isso, adjetivo), podendo significar 1.RUIM, 2.PERVERSO ou 3.DE MÁ QUALIDADE.

Espero que não cometam o mesmo equívoco protagonizado por mim, principalmente se vocês tiverem blogs ou perfis no facebook. Suas caixas de comentários encherão.

Boa escrita.

Nenhum comentário: