24 de out de 2012

MARCA DE 1 MILHÃO DE ACESSOS ATINGIDA

ATINGIMOS A MARCA DE MAIS DE 1 MILHÃO DE VISITAS NO BLOG www.centraldasletras.blogspot.com. AGRADECEMOS A TODOS QUE CONTRIBUÍRAM PARA ESTA MARCA.

15 de out de 2012

ENTRE TANTAS OUTRAS COISAS, SER PROFESSOR...

Por Cassildo Souza


Dia 15 de outubro. Dia do Professor. Essa data deveria representar um marco no avanço de nosso país, levando em conta que é a educação o elemento norteador do desenvolvimento de qualquer Estado. Mas não quero aqui falar sobre esses traumas. Prefiro refletir sobre outras coisas, sem aquele discurso político-social, luta de classes e coisas afins. O que é ser professor, na acepção mais abrangente da palavra?

Ser professor não é status, é "chamado", é dom, é vocação. Não está ligado, necessariamente, à quantidade de títulos que uma pessoa conquistou ao longo da vida acadêmica. Isso, infelizmente, nem sempre garante ao profissional a aptidão necessária para uma função tão nobre. Ser professor é ver as necessidades do aluno, transcendendo conteúdos programáticos e estáticos que nos tentam inculcar, muitas vezes esquecendo-se das situações cotidianas, extremamente dinâmicas e que requerem capacidade de ser flexível, dadas as particularidades de cada estudante.

Ser professor é ser o exemplo, o espelho, o modelo. E, de novo, ultrapassam-se as barreiras dos conteúdos específicos de determinada disciplina. O exemplo parte da vida pessoal, das opiniões expressas, da maneira como se reage, enfim, das práticas diárias que servem de referência para seus alunos. Se um docente não cumpre seus horários e não é pontual em suas atividades, não pode cobrar a mesma postura de seus discípulos. Quem se aventura nos caminhos do ensino deve refletir sobre essas questões e buscar, ao longo da trajetória, atingir esse nível que considero ser a excelência.

Ser professor é ser crítico, é não se deixar levar pelas impressões pessoais ao analisar um problema. É ser cidadão consciente, para que se possa exigir a consciência estudantil. É ter a hombridade de reconhecer o erro, considerando que a ninguém foi dado o direito de não errar. É ter a humildade de ouvir, de dar aos alunos a oportunidade de compartilhar suas experiências que, em várias ocasiões, chegam a surpreender. É, finalmente, ser imparcial.

Mas ser professor, além de tudo isso, também não pode acontecer satisfatoriamente sem a qualificação técnica. Agora, sim, falo dos conteúdos. Nesse caso, temos de considerar o equilíbrio, a regularidade dos inúmeros predicados necessários para exercer esse "chamado". Não adianta ser compreensivo, afetivo, conciliador, se não houver o conhecimento sobre aquilo que será ensinado. Por outro lado, não adianta ter preparação acadêmica se não houver o lado humano, em primeiro lugar, se não existir o devido respeito às peculiaridades do público-alvo. Ou seja, ser professor é ser complexo e procurar entender as complexidades dos diferentes mundos instalados nas cabeças dos discentes.

Procuro um dia enquadrar-me nos pré-requisitos. Não desejo que vejam em mim um pregador daquilo que não cumprirei. Os espelhos estão por toda a parte e servem também a nós, professores menos experientes, que tendem a "escorregar" mais do que aqueles que já traçam esse caminho há mais tempo. A estrada não é fácil, e nem poderia ser. Mas o desejo de ver um mundo melhor deve começar por aí. Afinal, nossos descendentes dependerão de tudo o que plantarmos agora e, sinceramente, não gostaria de ver um filho meu sendo orientado por alguém que não faz de seu magistério uma atividade digna.

FALTA DE COMPROMISSO PROFISSIONAL: UM DOS ENTRAVES DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA


Na lista de problemas que dificultam a educação brasileira, podemos incluir a desvalorização profissional, falta de estrutura física das escolas, currículo ultrapassado, problemas na base familiar. Um ponto primordial, todavia, para que essa área não caminhe em direção ao progresso é - indubitavelmente - a falta de compromisso de alguns profissionais, o que contribui decisivamente para que o segmento não conquiste a credibilidade de que precisa.

Creio que, em grande parte, a falta de visibilidade dessa classe profissional se explique pelo descrédito que nos dispensam, não somente as autoridades brasileiras, mas também grande parcela da sociedade. E - infelizmente admitamos - não temos sido profissionais exemplares em muitas situações. Há muitos casos em que a obrigação assumida ao se submeter a um concurso público não é cumprida fielmente depois, sob o argumento "mirabolante" de que somos desvalorizados. Grande exemplo disso é a falta de assiduidade de alguns colegas, o que, embora não percebam, só denigre uma imagem que deveria constituir exemplo.

Ora, se assumimos um ofício qualquer que seja, e não o cumprimos, que autoridade teremos para cobrar melhorias profissionais, já que o segmento acaba tornando-se desacreditado? Não afirmaremos aqui que devemos abdicar de nossas reivindicações, de requerer o que nos pertence por direito, no entanto um fato não pode interferir sobre o outro.O nosso maior problema, hoje, é que a sociedade não nos tem mais o devido respeito, e a falta de compromisso social e profissional de alguns é a grande causa dessa imagem arranhada. Isso constitui aspecto seriíssimo, já que somos (ou deveríamos ser) responsáveis por formar cidadãos críticos, responsáveis e éticos.

Tudo isso - inegavelmente - é reproduzido repetidamente, ao ponto de chegarmos a um estágio no qual tanto as autoridades governamentais nos isolam, quanto a sociedade nos vira as costas, já que parecemos querer transmitir uma imagem negativa. Precisamos cumprir nossa missão, sem deixarmos de solicitar melhorias não apenas funcionais, mas estruturais, tecnológicas e respeito à função. Temos que reformular nossas atitudes, a fim de que não sejamos um dos entraves da educação brasileira, já com tantos vilões a serem superados.

12 de out de 2012

DIA DAS CRIANÇAS: DEVEMOS COMEMORAR OU REFLETIR?

(Carla Beatriz, minha sobrinha)

O DIA DAS CRIANÇAS deve ser de festa, sim, para elas; para nós, adultos - contudo - deve servir de reflexão a fim de que possamos avaliar se as comemorações midiáticas, elitistas e hipócritas correspondem de fato à situação de milhares de meninos e meninas que vivem à mercê do descaso, da ausência às escolas (mesmo com projetos assistencialistas que pagam para irem às aulas), vítimas de famílias desestruturadas e sem a atenção de autoridades públicas. 

É preciso ponderar que - para esses "excluídos do mapa" - não tem sentido comemorar, já que o crack, a prostituição e a falta de uma formação digna os permeiam constantemente. E é preciso, ainda, entender que a responsabilidade é todos, do Estado, da sociedade civil e principalmente das famílias que resolvem gerar e criar seus filhos.

Que o Dia 12 de Outubro sirva para essa análise, porque as crianças ainda podem salvar o mundo, já que os adultos resolveram destruí-lo, em todas as instâncias.

ISOLADO DE REDAÇÃO DE 11.10.2012 - CENTRAL DE CURSOS


ISOLADO DE REDAÇÃO DE 04.10.2012 - CENTRAL DE CURSOS


6 de out de 2012

A STUDY TOUR TO JOÃO PESSOA / PB

Our study trip to João Pessoa with Tristão de Barros 2nd grades high school, on October 5th was unforgettable. We left at about 3:30 A.M and got João Pessoa at 8:10 A.M. There we could visit many wonderful cultural places in several points of the city. We were divided in two groups, in two buses, and passed all day knowing the history and the culture of the city.

We first learned that João Pessoa has already been denominated of 4 other names before the current one: Nossa Senhora das Neves, Felipeia, Frederica, Parayba and - finally - João Pessoa, though some people defend the back of the ancient name Paraiba, the same denomination of the State. In this ocasion, the students could visit the Praça dos Três Poderes and the palaces of state government and the parliament, besides the Faculdade de Direito.

 Right College (Faculdade de Direito)

Pedagogic Staff and the Students on the Square


"Três Poderes" Monument   (Monumento dos Três Poderes)
Statue of João Pessoa

 "Três Poderes" Monument (Monumento dos Três Poderes)

Paraiba's Parliament (Assembléia Legislativa/PB)

Paraíba Governor Palace (Palácio da Governadoria / PB)

Then we went to Conjunto São Francisco (São Francisco Monastery), whose photos can show the beauty and the art in the History's Course. Many works of art we found there, many histories, a large culture diversity that only can be explained by themselves. This was really a great moment of the tour.

 The Church











Paraíba's Flag (Bandeira da Paraíba)


 Viola Popular Singers (Violeiros)
(This remind my parents, but in this especially in this case, my father and uncle)

After that we went to the Ponto do Seixas (The Extreme East of Brazil) and the Cabo Branco Lighthouse with an innovative architeture. Following our City Tour we got to the Science Station whose sight to the beach is terrific. A very nice place, too. After that, we went having lunch.

In the afternoon, we visited the Mercado de Artesanato (Handicraft Market) with many gifts we can take to the friends or relatives. A very pleasant place with 149 stores in many segments.

Maybe the top point of this visit was the Energy Company "Energisa", that distributes electricity to the state of Paraiba. Many curiosities were explained by the instructors and many experiences were made. The students payed attention to the information and asked many questions to them. We learned about the history of energy since 5th Century 5th to the 21st Century, as well as about the ancient ways of energy, as we can see in all the photographs.




Voltage

Ancient radio


Vinyl disc - who didn't have a one?

Thomas Edison


Refrigerators in different times





 Ancient devices (fan, telephones, etc)


Many ancient forms of energy


Corn Mill (Moinho de milho)

Atoms (Átomos)

A transformer (Transformador)



The ultimate visit was to the Zoo, when many pupils became impressed about the snakes, lions, tiger, monkeys, aligators and the many kind of birds.

We got back Currais Novos at about 10 o'clock P.M.

It was really a unique experience.