29 de abr de 2013

NÃO BASTA RESPEITAR AS NORMAS, É PRECISO SABER O QUE ESCREVER

Todas as vezes que aplico uma atividade de produção textual, em algum curso preparatório para vestibulandos, algumas questões inquietantes me vêm à cabeça, seguindo-me insistentemente. Desta vez, aqui na Central de Cursos, 16h50 do dia 29 de abril de 2013, ocorreu-me de comentar sobre a importância de se conhecer os assuntos que serão abordados. Por mais "ajustadinha" que pareça a redação, somente isso não garantirá seu sucesso. É preciso ter propriedade sobre aquilo que se afirma.

Quando os professores de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias apontam a leitura como base fundamental para se escrever bem, não desejam que seus alunos simplesmente aprendam regras gramaticais ou coesão e coerência textuais no sentido técnico dos termos. Estão alertando que tais discentes precisam inteirar-se plenamente dos temas que interessam à sociedade, os quais compõem as preferências na elaboração da proposta do ENEM. É necessário, mais do que normas da boa escrita, saber a respeito do que se debate.

É razoável atentar, também, para o fato de que a leitura não pode ficar limitada aos livros e conteúdos convencionais, normalmente carregados de linguagem verbal. Assistir a um filme ou a documentário com uma visão crítica é uma maneira de ler, de conhecer o mundo em que se vive, bem como debater sobre assuntos diversos como música, futebol, crise internacional, educação. Isso faz parte do universo de experiências cotidianas também considerado na prova nacional para o nível médio. A praticidade é levada em conta quando se trata do ENEM, incluindo-se - com grande peso - a redação.

Entendamos, então, que as regras de gramática, embora também avaliadas nesse tipo de exame, não asseguram a abordagem adequada de um assunto, posto que dominar um tema demanda conhecimento obtido a partir de informações oriundas de diversas fontes. Alunos que desejam sobressair-se na produção textual de qualquer vestibular devem atentar para tais detalhes, raciocinando dentro da filosofia de que não se consegue discutir um tópico sobre o qual não se têm informações concretas. Buscar adequadamente tais informações (e elas existem aos montes) é o preço da redação bem-sucedida no ENEM.

Nenhum comentário: