1 de mai de 2013

1º DE MAIO: HÁ O QUE COMEMORAR?

1º DE MAIO: HÁ O QUE COMEMORAR?

 
 
 
 
 
Tenho dúvidas de que os trabalhadores do país, aqueles comprometidos de verdade com seu ofício, tenham algum motivo para comemorar no dia de hoje. Sabemos o quanto os homens do Brasil suam a camisa diariamente para construir a nação e muitas vezes não recebem nem de longe a recíproca que merecem. Claro que muita coisa evoluiu, mesmo a passos tímidos, mas a exploração ainda continua.

São os pais de família que se submetem a situações extremas, alguns até mesmo escravizados, para poderem sobreviver de maneira reta. Há uma concorrência desleal contra eles, já que vivemos entregues a autoridades que não estão muito preocupadas com as condições em que muitos homens e mulheres vivem para realizar suas funções.

O Dia do Trabalhador deve servir de reflexão, mas não pode misturar certas ideologias, como é comum nessas datas. Há uma escravização simbólica dos trabalhadores, por mais que afirmem o contrário. Costumamos criticar esses aspectos apenas no âmbito público, mas nos esquecemos de que muitos da iniciativa privada vivem sentados sobre os seus colaboradores, como se estivesse fazendo favor em mantê-los empregados.

Eu me orgulho do trabalho que ocupo, porque é dele que consigo andar com minhas próprias pernas. É um privilégio ter uma ocupação empregatícia no Brasil hoje, mas não posso me isentar de comentar, jamais, o que outras pessoas passam para continuarem no caminho certo, o que é contraditoriamente mal visto por quem dá as cartas nesse país-continente. Tanto é verdade, que hoje em dia a moda são as redes financeiras que enfatizam o "ganhar sem trabalhar".

Que o trabalho continue dignificando o homem não apenas ideologicamente, mas também de forma concreta, possilitando uma vida de bem-estar e de tranqüilidade para aqueles que pouco dormem, mas muito fazem.

Um comentário:

Anônimo disse...

Professor Cassildo, gostei bastante de seus textos e explicações sobre artigo de opinião e carta argumentativa e do seu blog como um todo. Porém, como as postagens dos temas a que me referi são de 2008 e 2009, achei que tais estruturas poderiam estar defasadas. Sobre o primeiro (artigo de opinião), creio que a estrutura permanece a mesma. Mas sobre a carta argumentativa, percebi que há textos no blog que trazem a cidade, estado e data do lado esquerdo da página, e outros que trazem essas informações do lado direito da página. Além disso, após a conclusão, vi textos que trazem o famoso "respeitosamente" ou "atenciosamente" do lado esquerdo da página, e outros textos que o trazem centralizado. Assim, gostaria que o senhor me esclarecesse como é, atualmente, a estrutura física da carta argumentativa e também do artigo de opinião ( para este,creio que não mudou nada).
Muito obrigado!