31 de dez de 2014

QUE 2015 SEJA APENAS A CONTINUIDADE DO "TODO"

Sabendo que calendários são mutáveis ao longo da história, o final ou início de ano torna-se algo mais abstrato do que qualquer outra coisa. Isso faz com que acreditemos que o intervalo de tempo que atribuímos ao período de 365 dias marque o fim de um ciclo e o início do outro. O que seria de nós, mortais, se não fossem certas convenções, ainda que possam ser questionadas mais à frente?
Vamos dizer que eu desconsidere esse intervalo. Assim, eu não poderia pedir nada para 2015, posto que em se tratando de um todo ( o tempo ), o que virá a partir de amanhã nada mais será do que a continuidade do que está acontecendo agora, em 31 de dezembro. E o que tem acontecido até agora para mim, neste todo, tem sido de coisas extremamente positivas, alentadoras, que dão esperanças.
Tudo bem, a cidade, o estado, o país estão longe de serem ideais. Também pudera, são articulados por seres humanos assim como eu, que falham constantemente: às vezes na tentativa de acertar, outras vezes nem tanto. O fato é que 2014 foi - como têm sido os últimos anos - um período de produção, de conquistas, de aprendizados, de posicionamentos contrários também, porque a divergência faz as coisas caminharem progressivamente.
Eu não posso reclamar deste ano que, conforme nossas convenções temporais, está terminando. É que eu não posso reclamar do TODO, não posso ser ingrato com a vida e com tudo que ela me tem proporcionado.
Agora, sim, considerand apenas o INTERVALO 2014, eu tenho uma palavra que o resume: GRATIDÃO. Gratidão pelas pessoas que me rodeiam; gratidão por aquelas que, mesmo não me apreciando muito, me fazem rever certos conceitos, ainda que posteriormente a certos fatos; gratidão pelos amigos (quantidade não é qualidade, e disso posso me orgulhar); gratidão pela família (mãe, pais, irmãos, esposa, sobrinhos...); gratidão pelos meus alunos; gratidão pelos meus colegas. gratidão pela VIDA.
Problemas? Discordâncias? Aborrecimentos? Qual simples mortal não os conheceu? E isso deve fazer parte do conjunto da obra, que no final me oferece um saldo mais positivo do que eu poderia imaginar. Portanto, só tenho a agradecer e reafirmar desejo por continuar melhorando como pessoa, como profissional. Enfim, como mais um componente entre os 7 bilhões de habitantes da Terra.
Que 2015, sem ser o intervalo abstraído em nossas mentes, seja apenas a continuidade do que já foi o ano anterior e que eu possa continuar agradecendo a Deus o fato de estar aqui, de fazer o que gosto, com quem gosto, de dividir ideias, de aprender coisas surpreendentes e de ser quem eu sou.
Muito obrigado a todos que, não só em 2014, tem me possibilitado cumprir funções e missões.

Nenhum comentário: