13 de ago de 2016

PÁTRIA OLÍMPICA?


Tomara que o legado das Olimpíadas - se houver algum - seja a consciência de que um evento dessa natureza une (ou pelo menos é a intenção que una) os esportes.
Vejo pessoas exaltando esportes em detrimento de outros, como se os Jogos Olímpicos fossem uma gincana para decidir qual esporte é mais importante, qual raça é superior ou qual gênero merece mais honras. Estamos misturando as coisas. Todos merecem torcida e respeito, indistintamente.
A falta de investimento em educação e esporte como mecanismos de inclusão ( e não necessariamente para descobrimento de talentos de alto rendimento) explica a situação social do Brasil. A situação social reflete-se na situação esportiva, que a cada quatro anos vemos apagada, nos últimos degraus da tabela de medalhas.
A falta de cultura esportiva - costumamos valorizar apenas alguns esportes ou os esportes que "curtimos" - também constitui um problema revelado nos atuais Jogos. Estamos individualizando as conquistas, como se uma fosse mais relevante do que outra, por questões alheias ao espírito do evento.
Olimpíadas constituem a confraternização de todos os esportes e não a incitação da rivalidade entre eles, independentemente do motivo alegado.
Algumas pessoas - antes de emitirem certas opiniões sobre esporte - poderiam antes se aculturar esportivamente. Gente que nunca assistiu sequer a uma partida de qualquer modalidade se aventura a comentar os Jogos, desviando o foco total do que eles realmente são.

Cassildo Souza, 13 de agosto de 2016.

Nenhum comentário: