14 de out de 2014

QUE O PERÍODO ELEITORAL PASSE METEORICAMENTE

Há um problema que nenhum candidato eleito resolverá no Brasil: o fanatismo político. A solução a isso partirá - se partir - de nós, cidadãos. Precisamos deixar o subjetivismo de lado. Se discutíssemos política em vez de brigarmos pelos candidatos, tudo poderia ser diferente.
Nunca brigarei por candidatos. Expor a opinião faz parte do exercício da democracia, mas até isso - quando feito deliberadamente nas redes sociais - tende a levar a discussão teoricamente madura para um lado que não nos interessa e que, infelizmente, só contribui para que não avancemos.
Espero que o período eleitoral passe meteoricamente, porque a maneira como as pessoas se manifestam não parece ser a mais sensata possível. Comprometer amizades e relações bem-sucedidas por causa de pessoas que não sabemos se vingarão, é um risco muito grande. Nessa parte, creio que quase não evoluímos. Ainda estamos na fase ultrapassada em que impera a seguinte lei: "O melhor para o país é sempre o lado para o qual eu voto." A maioria das análises é tendenciosa para aquilo que queremos que se afirme. O partidarismo, por incrível que pareça, ainda impera - e muito - por esses lados "sul-ocidentais", interferindo diretamente nas decisões.
Sendo difícil usarmos a razão para questões políticas, o melhor seria - em meu questionável entender - não expor as opiniões carregadas de uma "tietagem" para "A" ou "B". A eleição passará, os perdedores reclamarão e até torcerão para a situação piorar, a fim de justificar suas opiniões; os ganhadores sorrirão, mas daqui a um tempo poderão estar arrependidos. É assim sempre. Não se pode esquecer de que em várias situações seu amigo é seu adversário na hora de votar. Uma coisa não pode atingir a outra, e isso é o que temos visto nas últimas eleições, já que elas coincidiram com o "boom" das tecnologias virtuais, usadas em muitos casos não para discutir ideias e propostas, mas para provocar e ridicularizar quem pensa diferente.
Vida que segue.

Nenhum comentário: