11 de jun de 2008

Olhares obscuros (Cassildo Souza)

Eu não tenho vocação pra ser medíocre
Muito embora os caminhos me conduzam
Estou velado no olhar que identifique
A trilha certa dos brilhos que me seduzam.

Minhas lentes precisam se limpar
Minhas ações devem ser concretizadas
Estou em meio a um intragável mar
Meus conceitos, minhas idéias afogadas.

Tudo isso por não ser bem-decidido
Nas crateras de minha indefinição
Vivo sempre com o espírito coagido
Sem achar essa lógica solução.

De verdade, não sei onde eu piso
Meu tacto pra tais coisas não me vem
Isto é a sinopse do que analiso
É que às vezes minhas idéias não convêm.

Mas, se sou, assim mesmo, diferente
Tenho que assumir essa ingrata posição
Não posso ficar entre uma e outra vertente
Vou encontrar em um lugar o meu condão.

E, por enquanto, fico só na teoria
Esperando a hora certa de agir
Não quero ser eternamente uma ironia
E estarei, em breve, a me definir.

4 comentários:

Anônimo disse...

Esta muito bom esse blog..abraços!!

Aluna central de cursos.

CASSILDO SOUZA disse...

Obrigado pela visita e pelo comentário. Se tiver dúvidas, ou use o e-mail (duvidasnoar@hotmail.com) ou este espaço para comentários.
Abraço e muito obrigado.

Maria Maria disse...

Oi, Cassildo! Belo poema e belo blog. Encontrei a trilha, voltarei aqui mais vezes. Um abraço de Eme Gomes

CASSILDO SOUZA disse...

Obrigado, vindo de alguém como você, referência na poesia local (digo isso com sinceridade), fico feliz. A gente vai tentando emplacar algo novo, já que a maioria dos blogs tem o objetivo de denegrir as pessoas. Pode visitar mais vezes, e se você também tiver um blog ou algo do tipo me indique que quero acessar as suas belas poesias, que sempre passam na TV.com.
Um abraço.