11 de fev de 2010

AÇÕES ALITERADAS (CASSILDO SOUZA)

NÃO GOSTO DE MEU MAU GOSTO
NÃO GASTO MEU MAU HUMOR
NÃO AMO A MEDIOCRIDADE
LAVO A LUVA DO LOUVOR.

NÃO CAIO EM CERTOS CANTOS
FALO, FAÇO, FINDO E FICO
NÃO NADO NUNCA NO NADA
NEM RISCO A ROUPA DO RICO.

VIVO VENDO A VERDADE
MINO O MAL DA MENTIRA
JOGO JORRANDO A JUSTIÇA
IGNORO O "I" DA IRA.

ESTOU ENTRE ALGUNS ENIGMAS
BUSCO A BRECHA PARA O BEM
PASSO ÀS PRESSAS SEM PREGUIÇA
TOMBO NO TÉDIO TAMBÉM.

DIGO DIZERES DESERTOS
QUERO QUERER A CANÇÃO
TOCAR TECENDO O TECLADO
CONTRA A CONTRADIÇÃO.

LER AS LEGENDAS LENDÁRIAS
RECOLHER-ME NO RECUO
ESCOAR MINHAS ESCOLHAS
SEM PENSAR NO QUE POSSUO.

ESCONDEREI OS ESCOMBROS
DIREI SIM À DILÉTICA
ESTAREI EXTÁTICO, EM ÊXTASE
PERSEGUIREI A POÉTICA.

MÁGOAS FICARÃO N'ÁGUA
TRISTEZAS, EM LONGES TERRAS
SOLIDÃO, NOS SÓLIDOS SÓIS
SOZINHOS NAS FRIAS SERRAS.

VOLTO-ME, A VOZ É FRACA
A FORÇA VIRÁ DO FORTE
ATENTO, ATENDEREI
ÀS NOÇÕES PARA O MEU NORTE.

Nenhum comentário: