3 de out de 2010

MOVIMENTO CIRCULAR

Os inocentes se foram
Apenas o que ficou
Foi a poeira do vento
Que espalha as folhas secas.
Um ambiente-silêncio
Numa jornada esquisita
Tudo está para trás
Num passado que "acaba ir"
Até o ar é parado
No canto, nenhum cantar
Há uma vontade imensa
De um descanso não grande
Para que se refaçam coisas
Para se entender mudanças
Daqui a pouco se volta
Para trajetória igual
Cuja ambigüidade é visível
Nesse girar infinito.

Nenhum comentário: