19 de dez de 2014

AULA DA SAUDADE - 3.ªS SÉRIES - ESCOLA ESTADUAL "TRISTÃO DE BARROS" - 18.12.2014




SEMPRE GUARDANDO MOMENTOS...

Guardamos na memória – como tivesse ocorrido agora há pouco – a chegada de vocês ao Ensino Médio, cheios de expectativas, medos, sonhos, energia, curiosidade. Todos ávidos por ingressar numa outra etapa do ensino, aquela que encerraria – como hoje se encerra – a base da educação de cada um. Nem poderíamos imaginar – àquela ocasião – que o momento viesse tão rápido, transportando-nos meteórica e inevitavelmente para esta inesquecível noite. A saudade já nos abraça desde já.
Guardamos na memória – como tivesse sido ontem – as primeiras aulas com vocês, as apresentações de cada um, algumas tímidas, outras atrapalhadas, muitas até inseguras. Porém, todas verdadeiras, revelando caráter. As primeiras dúvidas, as primeiras reclamações de ambos os lados, as primeiras discussões, os primeiros pedidos de silêncio, os primeiros choros pelos trabalhos cansativos; as primeiras reuniões de pais, os primeiros elogios dos mestres, os primeiros eventos de que participaram. Guardamos com uma precisão que nem mesmo sabíamos ser possível.
Guardamos na memória – como há segundo tivesse acontecido – as primeiras amizades, e até namoros, provenientes da relação entre vocês, em dado momento já consolidada; os primeiros grupos formados em cada turma, as primeiras desavenças, as primeiras picuinhas, as primeiras reconciliações, os primeiros pedidos de perdão. Os primeiros perdões concedidos. Tudo está intacto, em cada um de nós, aqui presentes esta noite.
Guardamos na memória – como se fizesse apenas uma hora – as primeiras conversas francas entre professores comprometidos e alunos que precisavam de um norte: as falas que buscavam acrescentar valores à formação de estudantes não satisfeitos apenas com conteúdo teórico desprovido de relação com a vida real; as primeiras dúvidas sobre o futuro profissional ou acadêmico que todos vocês sempre fizeram questão de conhecer. Formação no sentido mais legítimo da palavra.
Guardamos na memória – como se tivéssemos acabado de testemunhar – os brilhantes trabalhos idealizados, realizados e apresentados por todos que aqui estão; os avanços que a cada temporada vocês adquiriam com decorrer do tempo; o amadurecimento natural e projetado pela escola que vocês tanto amam. O ensino sendo transformado em prática e transformando alunos comuns em cidadãos. Vocês já começam a sê-lo.
Guardamos na memória tudo o que aconteceu nesses últimos 36 meses: como humanos que somos, houve fatos positivos e negativos. Sobre os negativos, nos absteremos de tratar, posto que o lado bom de vocês imperou à maior parte do tempo. É dele que precisamos falar: das demonstrações de carinho, de afeto, de confiança. Demonstração de amor entre o ensinante e o que aprende; entre o que aconselha e o que questiona; entre o que orienta e o que procura orientação. Orientação que ultrapassa qualquer limite das disciplinas exercidas por cada um dos professores.
Ao observamos fotografias de 3 anos atrás, percebemos que aqueles meninos e meninas apreensivos mudaram não só fisicamente. Mudaram maneiras de pensar e de agir deles e de nós, mestres, que não somos donos da verdade e que nos deparamos diariamente com lições de vida das mais belas. E continuam aqui, vivos, saudáveis, ativos. Não poucos, neste intervalo de tempo, já se foram deste plano. Vocês mudaram para crescer, como continuarão a mudar principalmente de agora em diante.  
Guardaremos na memória os primeiros sucessos de cada um, seja na profissão, seja na universidade, seja como pessoas de bem, comprometidas com o mundo à sua volta.
Guardaremos na memória as primeiras notícias do quanto estarão bem-sucedidos, atuando naquilo que escolheram, sendo relevantes socialmente, primando pelo lado correto e nunca pelo caminho obscuro da vida.
Guardaremos na memória os momentos em que, mesmo sem aulas, vocês continuaram aqui, no ambiente que lhes agrada, demonstrando a gratidão e o desejo de permanecer perto dos professores, mesmo com o desgaste natural de qualquer convivência.
Guardaremos na memória, para todo o sempre, vocês, seres que nos engrandecem e que fazem da nossa vida algo significativo, por todos os atos que nos proporcionam dia a dia.
Vocês jamais sairão de nossas vidas, pois a memória cuidará de mantê-los agarrados para sempre em nós, que – por nossa vez – nunca mais os perderemos de vista.

Nós os amamos. 


*Mensagem dedicada aos alunos das 3.ªs séries "A", "B" e "C", por ocasião da Aula da Saudade, em 18.12.2014. 















Nenhum comentário: