21 de ago de 2010

MELHORES REDAÇÕES - PROPOSTA N.º IV

O necessário abandono às tradições

Social Net

Nos últimos anos, é notável o desenvolvimento e emprego da tecnologia no nosso cotidiano, conferindo à atualidade grande dinamicidade, a se perceber, por exemplo, pela globalização, fenômeno tal que a ideia de “globo” pode fazer tanto referência ao mundo como um todo, mas também à grande amplitude na qual se aplicam tais conhecimentos na atualidade, a se destacar nos meios de comunicação. Por conseguinte, é perceptível, apesar de gradativamente, a adesão de setores, mesmo os mais tradicionais, às tecnologias, destacando como exemplo, pelo atual contexto de processo eletivo, a presença de presidenciáveis em redes sociais virtuais diversas.

Há, porém, quem questione se a utilização de tal recurso vem a ser eficiente e realmente aproximar o candidato de seu público alvo, os eleitores. Entretanto, tal posicionamento de dúvida é, aparentemente, um reflexo de como a política no Brasil ainda é um setor em que se insiste distanciar do restante da sociedade e de seus aspectos. Como já citado, as inovações têm potencialidade de aplicação nas mais diversas áreas e a política, a destacar no período de campanhas, pode ser uma delas, sobretudo quando se vem a notar qual é o real propósito de um período eleitoral para o candidato, bem como quando se traçam paralelos.

Tempos atrás, por exemplo, as empresas, por mais bem sucedidas que fossem, realizavam publicidade por meio de panfletagem ou anúncios em jornais. O motivo para tanto era que estas eram, justamente, as alternativas para divulgação na época. Aos poucos, com os avanços já citados, o ramo publicitário acompanhou-os e passou a propagar marcas em ondas de rádio, sinal de televisão e, mais recentemente, por bits na internet, obtendo elevadas taxas de difusão dos produtos anunciados, aumentando mercados consumidores etc. A citação do ramo publicitário não é à toa: a economia, setor fundamental da sociedade, mostrou-se flexível para adaptar sua veiculação às tecnologias, tal qual as campanhas políticas também podem, visto que, em uma análise contundente, a política é um ramo intrínseco da sociedade e de elevada importância, além de possuir um caráter publicitário em suas campanhas, através das quais os candidatos usam de argumentos diversos(verídicos ou não) a fim de defender sua imagem diante de um “mercado”, desta vez, o eleitorado. A utilização dos recursos em debate toma maior relevância quando se percebe a magnitude do eleitorado que se alcança com, por exemplo, simples postagens no “Twitter”, meio mais comum entre os candidatos: segundo estatísticas, o Brasil representa 8% da massa total de usuários mundiais do Twitter, muitos destes provavelmente ainda indecisos, constituindo votos importantes a serem conquistados rumo a um sucesso na corrida presidencialista

É necessário incutir à visão de pessoas que ascendem a cargos públicos o quão se provam benéficos os canais que a comunicação atual permite, muitas vezes até em quesito financeiros. Não seria mais viável uma divulgação maciça de idéias e propostas por meio de tais redes que eventos grandiosos presenciais? Definitivamente, não se pode insistir na ideia de as campanhas políticas “nadarem contra a corrente tecnológica”. Por números e fatos, mostra-se como o processo democrático pode ser beneficiado por meio da aproximação já observada em alguns casos e que poderia ser perfeitamente adotada por cargos de magnitude estadual e até mesmo municipal. Romper com o tradicionalismo em prol da sadia disputa política é um avanço. Resta saber, porém, qual é o tamanho da vontade de alguns candidatos em abandonar tradicionais práticas de campanha, nem sempre lícitas, em prol do bem-estar social geral.


Autor: Eric de Medeiros Costa
Proposta n.º 04: Candidatos usam redes sociais para se aproximar de leitores - publicada neste blog, em 12.07.2010, no link: http://centraldasletras.blogspot.com/2010/07/proposta-de-redacao.html
Nota atribuída: 9,25
Gênero textual: Artigo de opinião

Um comentário:

Clistenes disse...

Muito boa a redação do meu amigo Eric. Ele é simplesmente impecável.
Parabéns pela redação, Eric. E sobretudo, parabéns pelo blog, Cassildo !

Abraço