8 de out de 2011

QUESTÕES TRABALHADAS NO AULÃO-SHOW DA CENTRAL - 08.10.2011


Observe os textos a seguir para resolver as questões 1 a 5

Texto 1 – O cangaço

Cangaço foi um fenômeno ocorrido no nordeste brasileiro de meados do século XIX ao início do século XX. O cangaço tem suas origens em questões sociais e fundiárias do Nordeste Brasileiro, caracterizando-se por ações violentas de grupos ou indivíduos isolados: assaltavam fazendas, sequestravam coronéis (grandes fazendeiros) e saqueavam comboios e armazéns. Não tinham moradia fixa: viviam perambulando pelo sertão brasileiro, praticando tais crimes, fugindo e se escondendo.

O Cangaço pode ser dividido em três subgrupos: os que prestavam serviços esporádicos para os latifundiários; os "políticos", expressão de poder dos grandes fazendeiros; e os cangaceiros independentes, com características de banditismo.

Os cangaceiros conheciam bem o Cerrado e, por isso, era tão fácil fugir das autoridades. Estavam sempre preparados para enfrentar todo o tipo de situação. Conheciam as plantas medicinais, as fontes de água, locais com alimento, rotas de fuga e lugares de difícil acesso.

Texto 2 – Breve histórico do cançaço

O primeiro bando de cangaceiros que se tem conhecimento foi o de Jesuíno Alves de Melo Calado, "Jesuíno Brilhante", que agiu por volta de 1870, embora alguns historiadores atribuam a Lucas Evangelista o feito de ser o primeiro a agregar um grupo característico de cangaço, nos arredores de Feira de Santana (em 1828), sendo ele preso junto com a sua quadrilha, em 28 de Janeiro de 1848, por provocar durante vinte anos assaltos contra a população de Feira. O último grupo cangaceiro famoso, porém, foi o de "Corisco" (Cristino Gomes da Silva Cleto), que foi assassinado em 25 de maio de 1940.

O cangaceiro mais famoso foi Virgulino Ferreira da Silva, o Lampião, também denominado o "Senhor do Sertão" e "O Rei do Cangaço". Atuou durante as décadas de 20 e 30 em praticamente todos os estados do Nordeste Brasileiro.

Para parte das autoridades, Lampião simbolizava a brutalidade, o mal, uma doença que precisava ser cortada. Para uma parte da população do sertão, ele encarnou valores como a bravura, o heroísmo e o senso da honra (semelhante ao que acontecia com o mexicano Pancho Villa).

O cangaço teve o seu fim a partir da decisão do então Presidente da República, Getúlio Vargas, de eliminar todo e qualquer foco de desordem sobre o território nacional. O regime denominado Estado Novo incluiu Lampião e seus cangaceiros na categoria de extremistas. A sentença passou a ser matar todos os cangaceiros que não se rendessem.

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Cangaco (adaptado)


QUESTÃO N.º 01 (CS / 2012)

Quanto à seqüência textual, podemos afirmar que:

a) no texto 1, predomina a seqüência narrativa, marcada pela presença de personagens, cenários e ações, além de verbos de ação, características comuns em fontes de dessa natureza.

b) no texto 2, predomina a seqüência descritiva, caracterizada pelo relato de fatos que envolve personagens, cenários e verbos de ação, comum em textos dessa natureza.

c) no texto 1, predomina a seqüência explicativa, uma vez que ocorre a definição de um termo e sua contextualização, comum a dicionários e enciclopédias.

d) no texto 2 predomina a seqüência injuntiva, expressa – principalmente – pelo teor instrutivo que obedece a uma ordem lógica.

e) nos textos 1 e 2, predomina a seqüência argumentativa, cuja característica principal é o posicionamento com base em argumentos.

QUESTÃO Nº 02 (CS / 2012)

Quanto às funções da linguagem, podemos afirmar que:

a) no texto 1, predomina a função fática, uma vez que o autor do texto visa principalmente a testar o canal de comunicação.

b) no texto 2, predomina a função metalingüística, tendo em vista que se caracteriza por definir o significado de expressões da língua.

c) no texto 2, predomina a função fática, uma vez que as estratégias persuasivas se destacam na construção do autor.

d) no texto 1, predomina a função denotativa ou referencial, já que são apresentadas informações sobre acontecimentos e fatos reais.

e) no texto 2, predomina a função emotiva ou expressiva, uma vez que há uma abordagem particular, ou seja, o ponto de vista do ponto é o que prevalece.

QUESTÃO N.º 03 (CS / 2012)

Considerando os textos 1 e 2, é correto afirmar que:

a) por conhecer diversos aspectos no Nordeste, como rotas complicadas, vegetação, fontes de água e plantas medicinais, os cangaceiros eram “ariscos”, dificilmente sendo capturados.

b) o cangaço sempre foi considerado por todos os segmentos como um movimento legítimo, o qual objetivava – prioritariamente – estabelecer a ordem e defender os pobres.

c) o cangaço teve sua origem a partir do grupo de “Lampião”, por volta de 1870, o qual agia nos arredores de Feira de Sant’ana (BA), provocando terror à população.

d) foi do Presidente Getúlio Vargas a decisão de anistiar todos os cangaceiros do território nacional, incluindo Lampião e seus comparsas.

e) O bando de Lucas Evangelista foi o último grupo famoso de cangaceiros, tendo sido ele assassinado em maio de 1940.

QUESTÃO N.º 04 (CS / 2012) Observe o trecho

“Para parte das autoridades, Lampião simbolizava a brutalidade, o mal, uma doença que precisava ser cortada. Para uma parte da população do sertão, ele encarnou valores como a bravura, o heroísmo e o senso da honra

Se uníssemos os períodos acima, transformando-os em um só, que conjunção ou locução conjuntiva deveria ser acrescentada, substituindo o ponto final?

a) por isso b) no entanto c) porque

d) portanto e) porquanto

QUESTÃO N.º 05 (CS / 2012) As vírgulas no trecho “O cangaceiro mais famoso foi Virgulino Ferreira da Silva, o Lampião, também denominado o "Senhor do Sertão" e "O Rei do Cangaço.", indicam:

a) marcação de de adjunto adverbial intercalado.

b) marcação de vocativo.

c) separação de predicativo do sujeito.

d) separação de termos com mesma função sintática.

e) intercalação de aposto explicativo.

RESPOSTAS COMENTADAS:

01. RESPOSTA: “C”. Na seqüência explicativa (ou texto explicativo), um termo é conceituado e exemplificado, como ocorre nos dicionários, enciclopédias e nas bibliografias técnicas de áreas específicas.

02. RESPOSTA: “D” A função denotativa/referencial tem na abordagem de fatos reais e contextuais a sua principal característica. Nela, os textos são objetivos e geralmente escritos em 3ª pessoa do singular (informativos em geral).

03. RESPOSTA: “A”. O último parágrafo do texto 1 deixa claro que o conhecimento a diversas características físicas da região dificultava, para as autoridades, a busca e a prisão dos cangaceiros.

04. RESPOSTA: “B” O período apresenta, claramente, oposição de idéias. Vejamos como ficaria:

Para parte das autoridades, Lampião simbolizava a brutalidade, o mal, uma doença que precisava ser cortada; no entanto, para uma parte da população do sertão, ele encarnou valores como a bravura, o heroísmo e o senso da honra.”

A locução conjuntiva no entanto é articulador sintático que indica essa oposição.

05. RESPOSTA: “E”. O termo “o Lampião” é função sintática que explica o sujeito “Virgulino Ferreira da Silva”, por isso sendo denominado de aposto. Como está intercalado (meio da frase), tem emprego obrigatório das vírgulas.

PARTE II – A DISSERTAÇÃO-ARGUMENTATIVA

Texto de cunho ARGUMENTATIVO, em defesa de um posicionamento assumido frente a uma problemática;

Texto escrito – preferencialmente – em 3ª pessoa do singular;

Não deve ser assinado, nem mesmo com pseudônimo, sob pena de eliminar o candidato;

Texto escrito em prosa (não deve haver versos);

Pode haver posicionamento parcial, no entanto, o candidato deve deixar clara a sua opinião;

Deve obedecer à estrutura INTRODUÇÃO, DESENVOLVIMENTO e CONCLUSÃO.

MODELO DA DISSERTAÇÃO-ARGUMENTATIVA EM PROSA

INTRODUÇÃO – CONTÉM A TESE / TEMA

O mercado de trabalho nunca foi uma expressão tão utilizada como agora. A preocupação por um futuro promissor, mais do que nunca, tem sido muito percebida nos dias atuais, em que se exige muita qualificação profissional e capacidade de iniciativa.

DESENVOLVIMENTO – 1º ARGUMENTO

Ser profissional não é simplesmente atuar numa área de trabalho, ter um emprego e exercer algumas funções. Quem não procura melhorar naquilo que realiza, obtendo cada vez mais informações para otimizar o serviço prestado tem a iminência do desemprego à sua frente. Não se admite mais o trabalho baseado no senso comum, sem o mínimo de conhecimento técnico-científico que permita a esse profissional satisfazer as necessidades contemporâneas, inclusive sendo versátil, quando preciso.

DESENVOLVIMENTO – 2º ARGUMENTO

Outro elemento decisivo para a manutenção do emprego é a iniciativa. E ela está intimamente ligada ao trabalho em equipe. Colaborar para que uma tarefa seja realizada, mesmo não sendo diretamente ligada àquilo que se faz, contribui para o fortalecimento daquele grupo, empresa, instituição pública ou qualquer outra esfera. Eis aí um dos fatores mais importantes para ser absorvido pelo mercado de trabalho, cuja ausência provoca um efeito contrário, com conseqüências traumáticas.

CONCLUSÃO – RATIFICA O TEMA / TESE

Nos dias atuais, o profissional que quiser ser bem-sucedido precisa reunir uma série de características, trabalhar em vários campos, relacionar-se bem com as pessoas e ser completamente dedicado. A situação em que se encontra a economia não dá chances a deslizes, por menores que sejam, e cabe a todo profissional a busca incessante para que o tal mercado de trabalho deixe de ser um monstro e passe a ser a solução.

Extraído de: www.centraldasletras.blogspot.com

Links para tirar dúvidas sobre Linguagens / Redação:

duvidasnoar@hotmail.com

www.facebook.com/cassildosouza

Questões elaboradas e comentadas pelo Professor Cassildo Souza

Um comentário:

TENTANDO SER... disse...

Trabalho interessante de revisão, Cassildo!