3 de nov de 2010

MODELO DE DISSERTAÇÃO ARGUMENTATIVA EM PROSA

Como o ENEM se aproxima (realizar-se-á neste final de semana), disponibilizo um modelo de DISSERTAÇÃO ARGUMENTATIVA EM PROSA, que tem sido a seqüência textual cobrada pelo Exame desde a sua instituição, em 1998.

A FALTA DE VONTADE POLÍTICA QUANTO À VIOLÊNCIA


Antigamente, quando se falava em assalto, todos ficavam apavorados, sabendo que se tratava de uma situação específica e que dificilmente voltaria a repetir-se; hoje esse ato já é considerado “normal”, e essa normalidade têm tornado as autoridades desmotivadas a resolver, de fato, a situação. Simples: não lhes interessa que as pessoas fiquem sossegadas, sem depender dos discursos e falatórios em época de campanha.


Se todos estivessem em situação de paz, se o número de assaltos e de delitos fosse pequeno e , portanto, não houvesse preocupação, o que os candidatos proporiam em época de eleição? Qual seria o argumento para se pedir voto? É visível o desinteresse e a “desresponsabilização” daqueles que deveriam garantir aquilo a que nossos impostos se destinam. O Governo Federal culpa os Estados que culpam o Governo Federal, e os Municípios, estes nem reclamar podem e, se o fazem, não são ouvidos.


Resolver o problema da violência é tarefa quase impossível. Por mais que se fale que a educação previne a violência, a abordagem atual é de solucionar algo que se arrasta há muito tempo, portanto, medida emergencial. Mas, havendo vontade política, esse quadro alarmante de insegurança da população poderá mudar muito nos próximos anos. É preciso entender que a educação já deveria ter sido valorizada antes para que o drama não ocorresse hoje. Mas, como isto se dá a longo prazo, atitudes firmes precisam ser, urgentemente, tomadas.


A população precisa arregaçar as mangas e tomar uma posição frente ao descaso da segurança. Chega de ser lesado o tempo todo, com falácias inconcretas, que não eliminam tal realidade. Mobilizar-se, cobrar das autoridades, organizar-se civilmente seria uma sugestão interessante de se seguir. Caso contrário, daqui a dez anos, talvez nem estejamos vivos para reivindicar.


2 comentários:

Lucimara Phn disse...

Boa noite.
Adorei o conteúdo dessa redação. Mas uma coisa me deixa com dúvida. Por que não aparecem os parágrafos com margens? Ex: Um dia estaremos a merce de certos homens que dirão; 'já que votaram; agora engolem...'
(...)Mas antes que isso aconteça precisamos parar com, voto em branco e voto nulo, de preferencia.
Grata
Lucimara - Brasília-DF.

CASSILDO SOUZA disse...

Muito pertinente o seu comentário, Lucimara. Acontece que no blog, essas margens não ficam como parágrafos, ficam sempre como "justificado". No texto original, as margens aparecem, mas quando se passa para o blog, elas não permanecem. Mas dá pra perceber que se trata de parágrafos pela pontuação. Grande abraço e obrigado por acessar!