15 de nov de 2012

MANIA DE "MANUSCREVER"

Todos que me conhecem sabem sabem o quanto as redes sociais - em especial MSN, Blogger e Facebook - me aturam. Essa relação tem ajudado bastante minha prática com os alunos, nesta era digital. Mas, por gostar e por uma necessidade, tenho-me pego escrevendo manualmente em larga escala estes dias. E minha produção tem sido nos horários de aula, inclusive o presente texto.

Gosto de ver o lápis deslizar mesmo sobre o papel. Inclusive, o que para as gerações novíssimas pode parecer arcaico, ainda é a maneira de participar de uma prova de redação de qualquer processo seletivo: concursos, ENEM e outros vestibulares. Tenho afirmado temer que algum dia a modernidade nos traga uma prova de produção textual em que o aluno apenas a digite num formulário virtual e seja automática e digitalmente atribuída a sua nota. Ficarei transtornado se isso acontecer.

Minha mania de "manuscrever" explica-se pela consideração que tenho sobre a escrita manual. Para mim, é uma arte, uma habilidade humana que não pode ser "desaprendida". Tento preservar essa característica também pelas minhas funções como professor de redação. Vejo que muitos da geração do teclado têm dificuldade quando se refere a produzir escritos e isso é outra coisa que me preocupa.

Trata-se de um misto, formado pelo prazer de escrever somado à necessidade de exercitar essa habilidade, contrapondo-me às lavagens cerebrais promovidas pela época computadorizada. Essa mania tem possibilitado a criação de vários textos que publicarei brevemente nas redes sociais, inclusive este que concluo na Escola Estadual "Tomaz de Araújo", em pleno Acari.

Nenhum comentário: